23°
Máx
12°
Min

Baixa nos preços de mercados da Soja, Milho e Trigo

- Baixa nos preços de mercados da Soja, Milho e Trigo

Os números da safra americana e mundial 2016/17 de soja indicam recorde de produção (116 e 333 milhões de toneladas) e aumento no estoque final (10,7 e 77,4 milhões de toneladas, respectivamente). Nos EUA a colheita avança sem problemas e também o plantio da safra sul-americana, apesar do atraso da chegada das chuvas na região central e centro oeste do Brasil.

Também aumenta a produção mundial e americana de milho em 2016/17, para 1,03 bilhão e 382,5 milhões de toneladas. O mesmo ocorre com o estoque final, para 216,8 e 58,9 milhões de toneladas, respectivamente. A colheita americana recorde caminha para o seu final e o plantio da safra sul-americana também.

Situação idêntica se verifica com a produção e o estoque mundial final de trigo, para 744,4 e 248,4 milhões de toneladas.

Os aumentos da oferta e dos estoques estão pressionando as cotações das três mercadorias na Bolsa de Chicago. A cotação da soja oscila entre U$ 9,3 a 10,0/bushel, a do milho entre U$ 3,1 a 3,8/bushel e a do trigo entre U$ 3,8 a 4,4/bushel.

Outra variável importante na composição dos preços recebidos pelos produtores, a taxa de câmbio, também está baixando, em função da expectativa de melhoria na condução da política econômica pela atual equipe de governo, principalmente no estabelecimento de limites ao déficit público.

Como consequência, os preços recebidos pelos produtores paranaenses das três mercadorias percorrem o mesmo caminho de  baixa. Da soja, de R$ 81,0 a saca em junho para R$ 66,5 atualmente. Do milho, de R$ 40,0 a saca em maio para R$ 33,0 e do trigo de R$ 45,7 em julho para R$ 35,7 a saca no presente, valor abaixo do preço mínimo de R$ 38,65 a saca. Por esta razão, o governo alocou R$ 150 milhões para a compra ou a equalização de preços do cereal, através dos instrumentos da política de garantia de preços mínimos. No entanto, ainda não ocorreram as intervenções do governo pleiteadas pelos produtores.