22°
Máx
14°
Min

Levantamento da safra paranaense de cana-de-açúcar

2015/16 e 2016/2017 – MARÇO/2016

A Superintendência Regional do Paraná efetuou, neste mês, o 4º levantamento da safra de cana-de-açúcar 2015/2016 e o 1º levantamento da safra 2016/2017.

O levantamento da safra 2016/17 apontou a área total de 621.809 hectares e a produção total de 46.338.125 toneladas de cana-de-açúcar, enquanto que na safra 2015/2016 a área finalizou em 515.716 hectares e da produção em 39.065.282 toneladas. Os números levantados apontam o desempenho da safra 2015/16 com redução de 17% e 15%, respectivamente, sobre os da safra atual 2016/2017. As estimativas de produção de açúcar e de álcool são de 3.376.924 toneladas e de 1,7 bilhão de litros de álcool (anidro e hidratado).

O corte e a moagem da cana na safra 2015/16 foram atrasados devido ao excesso de chuvas que ocorreu no Estado, o que fez com que as usinas ficassem muitos dias paradas, o que também gerou um excesso de cana bisada para a safra 2016/2017. Porém, cabe destacar a expectativa de que o clima será mais favorável à nova safra, devido a previsão de neutralidade climática para o inverno, ou seja, inverno com menos precipitações e temperaturas baixas (até 0ºC), que favorecem a concentração de açúcar na planta.

Devido ao excesso de chuvas, em um ano atípico, as usinas ficaram muitos dias paradas, motivo pelo qual o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA solicitou que a safra 2015/2016 no Paraná fosse prorrogada até 31/03, mesmo para as usinas que já haviam parado para manutenção e retomado suas operações este ano. A estimativa da ALCOPAR para a produção destinada à industrialização é de 43,0 milhões de toneladas, pois a mesma considera como safra 2015/2016 a cana colhida até 31/03/2016. Este é o motivo pelo qual existe diferença entre os dados obtidos na avaliação da Regional da CONAB e a informação da ALCOPAR.

A obtenção do ATR pelas usinas na safra 2015/2016 foi, em média, de 129 kg/t, enquanto que na safra 2016/2017 espera-se de 131,77 kg/t, ou seja, um aumento de 1,5%, devido, principalmente, à grande quantidade de cana bisada.

As áreas de plantio destinadas a renovação e a expansão da cultura, na safra 2015/2016 totalizaram em 66.049ha, enquanto que para a safra 2016/2017 a previsão é de 77.780 ha. Mesmo com o aumento de 18% na área de plantio (dos quais 25% renovação e 11% expansão), o número ainda é baixo, pois indica uma média de renovação dos canaviais a cada 8 a 10 anos, quando o ideal seria renovar a cada 6 ou 7 anos.

Cabe destacar que maioria das usinas teve prejuízos causados pelas chuvas e granizo no ano passado, desde erosões nas lavouras até necessidade de replantio de áreas de renovação. Estas não foram situações pontuais, mas ocorrências generalizadas e principalmente na região noroeste do Estado.

O cenário para atividade é considerado positivo nesta temporada, pois o clima e o câmbio estão favorecendo a produção da cana e a comercialização de seus derivados, principalmente o açúcar que está com o preço 30% superior àquele vigente na mesma época no ano passado. A conjuntura atual indica que será um ano de recuperação financeira do setor que se encontra endividado em função do mau desempenho de anos anteriores.      

           

Curitiba, 28 de março de 2016.

Daniela Furtado de Freitas

Encarregada SEGEO

Eugênio Stefanello

Técnico de Operações – SEGEO

Rafael Rodrigues Fogaça

Eng.º Agrícola – SEGEO