22°
Máx
17°
Min

O futuro da Emater

A EMATER completou  neste mês de maio 60 anos de atividade no Paraná.

Em 2015, do PIB de R$ 350 bilhões gerado no Estado 35% foram pelo agronegócio, que abrange a produção dos insumos, a produção agropecuária, a transformação desta em produtos intermediários e finais e a distribuição destes no mercado interno e externo.

Das 371 mil propriedades existentes no Estado 160 mil tem área inferior a 10 hectares, 200 mil tem renda abaixo de dois salários mínimos e 100 mil não tem nenhum acesso aos trabalhos de assistência técnica e extensão rural.

Compete a pesquisa gerar as tecnologias e os conhecimentos e compete a extensão rural fazer com que tais conhecimentos cheguem aos produtores e sejam adotados pelos mesmos, promovendo a transformação e a melhoria das atividades produtivas e do ambiente onde as mesmas são realizadas, além da inclusão econômica, social e cultural de todos os envolvidos.

Atualmente existem produtores e propriedades com renda abaixo da linha da pobreza convivendo ao lado de propriedades que produzem com alta tecnologia e elevados níveis de produtividade e renda.

O Instituto EMATER tem a função de apoiar a transformação do primeiro grupo e dos produtores familiares em pequenos empresários com produção, renda e melhores condições de vida para ele e sua família, ou seja, com produção sustentável em termos econômicos, sociais e ambientais. Quando esta situação se concretizar, a extensão rural terá cumprido seu papel.

Para atingir estes objetivos, a EMATER necessita de quadro administrativo e técnico compatível com o tamanho dos desafios, objetivos e metas, além das demais condições materiais e financeiras.  

A EMATER promoveu concurso visando a contratação de 400 profissionais para atuarem nos diferentes programas e municípios hoje desfalcados de pessoal. O Plano de Desligamento Incentivado efetuado anteriormente gerou economia de recursos financeiros superior aos recursos necessários à contratação deste contingente, evidenciando salutar cuidado que todo administrador público deve ter com as finanças públicas.

Todas as entidades representativas vinculadas ao agronegócio, as associações dos municípios, as entidades de classe envolvidas, a SEAB comandada pelo Secretário Norberto Ortigara e a própria EMATER estão esperando a concretização destas contratações, pelos inegáveis efeitos econômicos e sociais sobre a principal atividade econômica do Paraná.

Em 25 de maio de 2016, dia do trabalhador rural. Eles e as empresas do agronegócio são responsáveis por 20% da riqueza gerada no Brasil, por mais de 50% das exportações e por quase todo o alimento que consumimos. A todos a homenagem do Massa News e do Negócios da Terra.