22°
Máx
17°
Min

Seca em abril, excesso de chuva em maio e agora frio em junho

Foto: Marília Sutil/ Prefeitura de Urupema - Seca em abril, excesso de chuva em maio e agora frio em junho
Foto: Marília Sutil/ Prefeitura de Urupema

Na quarta feira, dia 8, as geadas foram menos intensas e localizadas na região sul do Estado. Nos próximos dias 9 a 11 se estenderão gradativamente para as demais regiões, exceto no litoral e na parte noroeste do Paraná, e ficarão mais intensas, principalmente nas regiões sul, sudoeste e oeste.

Primeiro foi o calor que afetou o desenvolvimento da segunda safra de milho e feijão, depois o excesso de chuvas atrasou o inicio da colheita do milho e prejudicou a qualidade do produto que estava em ponto de colheita. Até agora apenas 5% das lavouras foram colhidas e a previsão de produção reduziu de 12,8 para 12,1 milhões de toneladas. Nas demais lavouras, em 50% as plantas estão na fase de formação de grãos, portanto suscetíveis ao frio, e em 45% na de maturação. A ocorrência de geadas sucessivas preocupa pela possibilidade real de reduzir ainda mais a estimativa de produção, ficando abaixo de 12 milhões de toneladas.

A segunda safra do feijão já está com 95% das lavouras colhidas e o excesso de chuvas prejudicou mais a qualidade do produto. Nas demais, as plantas se encontram na fase de maturação e pouco suscetível ao frio.

O excesso de chuva comprometeu a qualidade do café que estava maduro, inclusive provocando a queda de parte dos grãos. Agora as geadas podem afetar algumas lavouras localizadas nas baixadas, mas não prejudicarão a colheita em andamento. Se ocorrer a queima dos ponteiros dos ramos, somente o potencial de produção da safra de 2017 destas lavouras será afetado. Os cafeeiros novos podem ser protegidos pela cobertura com terra, como recomenda o IAPAR.

As geadas também ressecarão as pastagens nativas, já em fase final de ciclo, e os hortigranjeiros cultivados sem proteção, o que se refletirá em aumento dos preços, em curto prazo.

As lavouras dos cereais de inverno, como o trigo, a aveia e a cevada não serão afetadas pelo frio. Ao contrário, serão beneficiadas pelo combate as pragas e as plantas invasoras, como a soja nascida após a colheita da safra de verão. 

Em 08 de junho de 2016.