27°
Máx
13°
Min

Audiência de Conciliação e Mediação discute maior ocupação de área urbana no PR

Pacificação social - Está marcada para o dia 25 de julho a Audiência Pública de Conciliação e Mediação entre os proprietários e os ocupantes da área denominada  “Invasão do Bubas”, na região sul de Foz do Iguaçu. A invasão é a maior ocupação de área urbana no Paraná na atualidade. A Justiça tenta resolver o pedido de reintegração de posse da forma mais ampla possível observando a finalidade da ordem jurídica e a pacificação social.

Representantes convocados – Estão listados como convocados para a audiência pública os representantes do Ministério Público, Ministério das Cidades, Assessoria Especial de Assuntos Fundiários do governo do Estado, Prefeitura de Foz do Iguaçu, Câmara Municipal, Assembleia Legislativa, UNILA, UNIOESTE e da União Municipal da Associação de Moradores. A audiência vai acontecer no plenário do Tribunal do Júri.   O  juiz Rogério de Vidal Cunha está requerendo que a imprense dê ampla divulgação ao encontro.

Começaram as oitivas - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as denúncias deflagradas pela Operação Pecúlio ouviu na segunda-feira (31) a primeira testemunha. Trata-se de um servidor público lotado na secretaria de obras. O servidor, que não está envolvido na investigação, foi chamado para explicar a tramitação de projetos. Os vereadores querem entender o funcionamento técnico da pasta.

Novas oitivas - Nesta terça-feira (31) dois ex-secretários de obras e um servidor serão ouvidos. Conforme definido pela Comissão, as oitivas serão abertas à imprensa. Porém, caso o depoente se oponha será solicitada a saída da imprensa.

Caminho traçado -  O Presidente da CPI, Vereador Dilto Vitorassi (PV), afirmou que “em cima das informações obtidas até agora pela comissão estão pegando o fio da meada da investigação, o caminho a ser traçado”.

Gripe mortal -  Em Foz do Iguaçu foram registrados 49 casos de H1N1 em 2016. Em 2015 foram 13 casos. A doença provocou oito mortes. As vítimas foram cinco mulheres e três homens.

Não pode descuidar – Os casos de dengue ainda exigem atenção das autoridades sanitárias e de saúde em Foz do Iguaçu. No período a doença já matou 12 pessoas. É o maior número de óbitos dos últimos dez anos.  

Doenças fatais – As três principais causas de morte em Foz do Iguaçu são doenças do aparelho circulatório, causas externas (homicídios, suicídios e acidentes de trânsito) e neoplasias.      

Delegacia da Mulher - A delegada Mônica Ferracioli deixa o Núcleo de Proteção a Criança e ao Adolescente Vítimas de crimes (NUCRIA) e assume a titularidade da Delegacia da Mulher. A delegada acumulava as duas especializadas.

Doação de órgãos - A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou, em segunda discussão, o projeto que estimula a doação de órgão e tecidos. Pela proposta é criado o selo “Paraná pela Vida” com o objetivo de marcar o reconhecimento do Estado pelo trabalho de profissionais ou instituições que contribuam para o aumento do número de doadores no Paraná.

Balanço da Muralha  - Desde o dia dois de maio, as forças de segurança que integram a operação Muralha, reforçada desde a segunda-feira (30) pelo Exército Brasileiro, apreenderam 65 veículos, três toneladas de drogas e mais de R$ 3 milhões em mercadorias descaminhadas e contrabandeadas. Neste período 29 pessoas foram presas. A informação é do delegado da Receita Federal em Foz, Rafael Dolzan.