27°
Máx
13°
Min

Comissão gestora do hospital vai atuar, também, na UPA e no PA Morumbi

Requisição prorrogada - A Prefeitura prorrogou por seis meses, a contar de 23 de maio de 2016, a requisição administrativa do Hospital Municipal Padre Germano Lauck. O decreto publicado ontem, também inclui nas atribuições da Comissão a gestão da Unidade de Pronto Atendimento 24 horas João Samek e do Pronto Atendimento do Morumbi. 

Atribuições ampliadas - Pelo decreto a Comissão fica investida de poderes amplos, gerais e irrestritos para a prática de todos e quaisquer atos de gestão correspondentes a UPA e ao PA. Com a decisão acontece a unificação de protocolos e direção única do atendimento em saúde de emergência, media e alta complexidade.

Decisão administrativa - A medida, se adotada anteriormente, evitaria o desgaste dos últimos dias com relação à implantação de uma Parceria Público Privado na saúde. Agora é só esperar para conferir se haverá alguma reação a decisão.   

Vai entender! Depois do embate e do desgaste evidente, a prefeitura cogita a possibilidade de reformar o PA do Morumbi sem a necessidade de suspender o atendimento da população.

Concorrência desleal - Partiu da Câmara de Vereadores o pedido para a fiscalização arrochar no combate aos veículos irregulares que atuam no transporte de passageiros nas proximidades da Ponte da Amizade e no Aeroporto internacional. O pedido é para que sejam intensificadas as ações de combate ao trabalho ilegal.

Arrocho na fiscalização - Para os parlamentares o arrocho na fiscalização atende aos anseios dos trabalhadores da área e a também resguarda a população iguaçuense e turistas dos riscos a que são expostos em virtude do transporte ilegal de passageiros. O Foztrans alega que fiscaliza. Porém (sempre tem um ‘porém’) não conta com fiscais suficientes para fazer mais do que está fazendo.  

Veículos clandestinos - Na mira do pedido dos vereadores estão as vans, táxis estrangeiros, carros particulares e até mesmo carros de turismo. O documento é assinado por Marino Garcia (PEN), Luiz Queiroga (DEM), Rudinei de Moura (PEN), Anice Gazzaoui (PTN) e Gessani da silva (PP).

Promoções e progressões - Na quarta (27) representantes da APP Sindicato se reuniram com a secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres. Na pauta da reunião as reivindicações da categoria. Os sindicalistas ouviram que o pagamento das promoções e progressões depende de estudos. A explicação é que não há excedente de receita. Para a secretária as demais demandas da categoria já teriam sido atendidas.

APP mobilizada – Na sexta-feira (29) os educadores paranaenses participam de um ato nacional em Curitiba. A data lembra o confronto entre professores e policiais militares no Centro Cívico em Curitiba.

Piscinas seguras - A Assembleia Legislativa do Paraná aprovou projeto de lei que obriga a instalação de sistemas de segurança em piscinas de clubes e casas para evitar acidentes, principalmente com crianças. A proposta exige a instalação de dispositivos como botões de emergência para o desligamento das bombas de sucção e a instalação de barreiras para evitar acesso direto à piscina. O projeto volta na segunda-feira (2) para mais uma discussão no plenário da Assembleia.

Ponto de vista - A liberdade de opinião de professores e ministros religiosos dentro da sala de aula ou em exercício do ministério foi debatida em audiência pública na Câmara Federal. A proposta inclui a isenção dessas pessoas de punição por crime de injúria e difamação. O tema é controverso. O questionamento está relacionado a compreensão quanto ao limite dessa liberdade. A proposta de audiência pública partiu do deputado paranaense Diego Garcia (PHS). O projeto é de autoria do deputado Takayama (PSC).

Acelerar o rito - O deputado Rogério Rosso (PSD)  quer mudar a Constituição para estabelecer novo rito para o processo de impedimento de presidente da República. Rosso presidiu a comissão especial da Câmara que analisou o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Sentiu na pele as dificuldades.

Palavra Final – A proposta dispensa a admissibilidade do impeachment pelo Senado. A aprovação por 2/3 dos deputados em plenário já afastaria automaticamente o presidente da República. O rito atual é redundante. Basta verificar as pessoas convocadas para serem ouvidas pela comissão de senadores. Caberia, portanto, ao Senado apenas julgar o processo no prazo de 90 e não mais de 180 dias.   

Nova eleição - O senador Paulo Paim (PT) defendeu a antecipação de eleições diretas para presidente da República. Todos os dias surgem novos adeptos da proposta.

Força de lei - O uso obrigatório de farol baixo durante o dia nas rodovias foi aprovado no Plenário do Senado. O projeto agora segue para sanção presidencial. O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) já editou resolução recomendando o uso. Mas o entendimento é de que só uma norma com força de lei levaria os motoristas a adotarem a medida.

Corregedoria eleitoral - O juiz eleitoral Geraldo Dutra de Andrade Neto, reúne a imprensa iguaçuense em entrevista coletiva com o Corregedor Regional Eleitoral que tratará acerca da inspeção/correição dos Cartórios Eleitorais. Será as 17h30 desta quinta-feira (28) no Fórum Eleitoral de Foz do Iguaçu.