24°
Máx
17°
Min

Confiante, Paulo Mac Donald Ghisi segue rotina de candidato eleito

Confiança demasiada - O ex-prefeito Paulo Mac Donald, que obteve o maior número de votos na disputa pela prefeitura  de Foz do Iguaçu, confia numa decisão favorável  do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A impugnação da candidatura do ex-prefeito foi confirmada, por unanimidade, pelo Tribunal Regional Eleitoral. Ele recorreu ao TSE e aguarda decisão para confirmar sua eleição.

Proclamação sobrestada - Enquanto o recurso não for julgado, Paulo Mac Donald não pode ser proclamado prefeito. Porém, alheio ao fato, segue a rotina de eleito. Organizou um comitê político. Reuniu o grupo e já fala, inclusive, em anunciar os primeiros nomes de supostos futuros secretários ainda nesta terça-feira (4).

Ainda magoado - Paulo criticou a forma que a campanha eleitoral se desenvolveu e reclamou dos ataques pessoais que alega ter sofrido. O recado tem destinatário: o ex-aliado deputado Chico Brasileiro.

Ausência sentida - Por outro lado, o deputado Chico Brasileiro permanece ausente do processo. Pelo menos na segunda-feira (3) não se ouviu falar do deputado ou de sua assessoria.

Aguardando credenciais - Enredada em problemas financeiros e ainda sem previsão para depositar o salário dos servidores, a  prefeita em exercício, Ivone Barofaldi, informou que vai aguardar a decisão do TSE para dar início ao processo de transição administrativa.   

Vaga disputada - Na Câmara Municipal suplentes estão de olho na cadeira ocupada pelo vereador Zé Carlos (PMN) que permanece preso por ordem do Tribunal de Justiça. Entre os suplentes um está impossibilitado de assumir e outro trocou de partido. Na ordem de precedência o terceiro suplente é o ex-vereador Djalma Pastorello que já anunciou a intenção de ocupar a vaga.  

Visita pragmática - O candidato do partido Rede, Philipe Mansur, ultrapassou 20 mil votos. Debutou bem nas disputas eleitorais. Além disso, em caso de nova eleição, credenciou-se como sucessor natural da maioria dos votos de Paulo Mac Donald. Pragmático, após o encerramento da apuração, foi ao comitê do ex-prefeito dar os parabéns pela “vitória”.      

Nova oportunidade - Paralelo ao embate jurídico, partidos vasculham a legislação para reunir as informações necessárias caso seja provocado um novo processo eleitoral. Querem saber dos procedimentos enquanto sondam novos nomes.

Fila insegura - A situação dos caminhoneiros que aguardam liberação de cargas fora da estação aduaneira é desesperadora. Enfrentam prejuízos financeiros, tentativas de saque, condições inadequadas de higiene e de alimentação.

Deve piorar - Auditores fiscais fazem reunião nesta terça-feira (4)  na Delegacia da Receita Federal de Foz do Iguaçu  para definir os próximos atos do protesto. A categoria espera reunião da comissão em Brasília para adotar medidas. Porém, nada está tão ruim que não possa piorar. A previsão é de que esta semana a situação seja um pouco pior.

Só holerite - Servidores da prefeitura ainda não receberam o salário do mês de setembro. Não receberam o salário nem informação da previsão de pagamento.

Para lamentar - Nesta terça-feira (3) os vereadores retomam as sessões. O momento mais esperado é o dedicado a tribuna livre. Espaço para que os vereadores, principalmente os não reeleitos, possam avaliar a campanha e desabafar.  

De saída - O vereador Dilto Vitorassi estuda ações contra o Partido Verde. Ação de Justa Causa e, possivelmente, por Danos Morais. Está deixando a legenda acusando os dirigentes de tê-lo impedido de disputar a reeleição na Câmara de Vereador.   

Terapia assistida - A Assembleia Legislativa aprovou a entrada de pequenos animais domésticos como visitas aos pacientes nos hospitais paranaenses. A liberação será tratada como terapia assistida para diminuir o stress e o desconforto do ambiente hospitalar. Os hospitais regulamentarão os critérios de permanência dos animais.

Julgamento privilegiado - A Câmara dos Deputados analisa 12 propostas de emenda à Constituição que acabam com o foro de prerrogativa de função, mais conhecido como foro privilegiado, instituto que garante a autoridades o direito de serem julgadas por tribunais superiores.

Lista considerável -  Nos levantamentos feitos pelo procurador da República Deltan Dallagnol, que chefia a Força Tarefa da Operação Lava-Jato, existem 22 mil pessoas com foro privilegiado no país. Além do presidente da República e do vice-presidente, a lista inclui ministros, todos os parlamentares, prefeitos, governadores, juízes e membros do Ministério Público.

Antes rejeitada - Se as propostas que acabam com o foro de prerrogativa de função forem consideradas constitucionais, será criada uma comissão especial para analisar o mérito da questão. E não será a primeira vez. Em 2009 uma proposta parecida foi rejeitada em primeiro turno pelo Plenário da Câmara, depois de ter sido aprovada na comissão especial.

Jogo liberado - O projeto que amplia o leque dos jogos de azar legalizados no país volta a ser debatido na quarta-feira (5). O projeto legaliza cassinos, bingos, jogo do bicho e apostas eletrônicas. Um substitutivo também trata das loterias federal e estaduais e do um tipo de loteria relacionada com corrida de cavalos.

População envelhecida - Dados do IBGE apontam que existem aproximadamente 20,6 milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade no país. O total representa 10% da população brasileira.

População desinteressada - Ao todo, 25.330.431 (17,58%) eleitores não compareceram as urnas. Percentual superior as duas últimas eleições municipais, disputadas em 2012 e 2008.

População convidada - Na quarta-feira (5), às 18h, na Câmara de Vereadores de Foz do Iguaçu, acontecerá a Audiência Pública sobre o Plano Diretor de Foz do Iguaçu.