27°
Máx
13°
Min

CPI da Operação Pecúlio mira alvos múltiplos

Disparo com cartucheira - A CPI da Câmara Municipal para investigar denúncias averiguadas pela Operação Pecúlio pode ser comparada a um tiro disparado com cartucheira. Os alvos incluem dezenas de contratos da atual administração. Basta um chumbinho atingir qualquer um dos alvos para que seja proposta a conversão da   comissão de investigação em Processante.

Vitorassi preside - A CPI tem o vereador Dilto Vitorassi (PV) como Presidente, o Vereador Edílio Dall´Agnol (PSC) como relator e o Vereador Nilton Bobato (PCdoB) como membro. Bobato (PCdoB) votou nele mesmo para Presidente e para relator. Não deu certo!

Documentação prioritária - O primeiro passo da CPI é solicitar todos os documentos referentes à Operação Pecúlio à 3ª Vara Federal de Foz do Iguaçu e ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região e também cópia da petição do pedido de prisão preventiva do Prefeito, o qual foi negado.

Busca apurada - Além disso, os parlamentares vão solicitar ao Executivo um calhamaço de cópias de contratos e processos licitatórios. Os vereadores querem rastelar tudo para ver se encontram irregularidades.

Período eleitoral - O prazo para a conclusão da CPI é de 45 dias. Vai entrar no mês de julho podendo ser prorrogada. Convertida em Comissão Processante o assunto terá sobrevida. Deverá inaugurar o mês de agosto.

GAECO - Por outro lado, um dos desdobramentos da Operação Pecúlio se dará no Gaeco. Para o grupo de combate ao crime organizado serão encaminhados os documentos que não versam sobre verbas públicas federais e os que não atingem os interesses da União.

Oferecimento da denúncia - A Justiça Federal negou o pedido de revogação da prisão preventiva do ex-secretário de obras, Carlos Juliano Budel. Como todos os que recorreram não conseguiram decisão favorável, o advogado Osvaldo Loureiro disse que não vai insistir. Não quer que seu cliente colecione derrotas. Vai aguardar o oferecimento da denuncia para fazer a defesa.

Encontro as escuras – Nesta quinta-feira (19) o promotor de Justiça Luiz Marcelo Mafra vai receber os vereadores em seu gabinete. Não será uma visita de cortesia dos parlamentares. A notificação para o comparecimento partiu do Ministério Público Estadual. Um dos vereadores “convidados” garantiu não saber do que se trata. O promotor também não revela.

Leitos desativados - O Conselho Federal de Medicina (CFM) apurou, junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), do Ministério da Saúde, que quase 24 mil leitos de internação foram desativados na rede pública de saúde. Desde dezembro de 2010 a queda é de 13 leitos por dia. Pelo menos 150 milhões de brasileiros dependem exclusivamente do SUS.

Situação desesperadora  - Também foram apurados pelo CRM os leitos reservados às Unidades de Terapia Intensiva (UTI). A rede apresentou alta de 23%, passando de 33.425 em dezembro de 2010 para 40.960 no mesmo mês de 2015. Aproximadamente 20 mil leitos são da rede pública. Porém, a quantidade é ainda insuficiente para atender as demandas da população. O dado perverso é que 86% das cidades brasileiras não possuem nenhum leito público de UTI.

Anamnese - Nesta quinta-feira (19) é comemorado o dia Mundial do Médico da Família e da Comunidade. O profissional atua no atendimento primário o que, comprovadamente, reduz as idas às emergenciais, as internações desnecessárias e o avanço de doenças como a depressão e os transtornos de ansiedade, entre outras.

Apenas 10% - No Brasil existem quatro mil médicos da família e seriam necessários 40 mil profissionais. A notícia boa é que o interesse pela especialidade tem aumentado

Bloqueio de via - A punição pelo bloqueio de vias, utilizando veículos, saltou de R$ 191,54 para R$ 3.830,80. A multa será dobrada em caso de reincidência no período de 12 meses. Além da remoção do automóvel do local, a medida prevê que os organizadores do bloqueio poderão ser multados em 60 vezes o valor base da multa, também com duplicação do valor no caso de reincidência.

Multas salgadas - As mudanças no Código de Trânsito Brasileiro, a partir de novembro, promovem o reajuste no valor da multa para o uso de telefone celular ao volante. Além disso, surge uma infração específica para os motoristas que se recusarem a se submeter a teste de bafômetro e torna infração gravíssima estacionar em vagas reservadas para pessoas com deficiência ou para idosos sem credencial.

Parte mais sensível do corpo -  Por exemplo, dirigir segurando ou manuseando o celular será considerado infração gravíssima. A multa salta de R$ 85,13 para R$ 293,47  mais sete pontos na habilitação. Como muitos motoristas temem mais a punição pecuniária que o risco de um acidente, o hábito dirige deve perder espaço no cotidiano dos motoristas.