28°
Máx
17°
Min

CRM faz nova vistoria no Hospital Municipal de Foz do Iguaçu

Interdição ética - Representantes do Conselho Regional de Medicina (CRM) realizaram vistoria no Hospital Municipal de Foz do Iguaçu. Motivados por denúncias formalizadas por médicos, os conselheiros verificaram três situações: Atraso no pagamento de honorários médicos, fechamento do laboratório e a falta de um tomógrafo.

Sem previsão - A direção do hospital alega, por enquanto, não tem previsão para o pagamento dos honorários médicos de maio. Quanto ao conserto do tomógrafo, parado há uma semana, a peça foi adquirida junto ao fabricante nos Estados Unidos.  Depende da remessa para que a exigência seja atendida.  

Até segunda – A categoria vai aguardar, até segunda-feira (24), respostas sobre o pagamento dos honorários médicos. A ausência de informações resultará no início de uma operação padrão dos profissionais.

Estrutura laboratorial - O prazo de 24 horas para que os exames laboratoriais de pacientes internados na UTI fossem feitos no próprio hospital vence nesta quarta-feira (20). A direção da Fundação Municipal de Saúde corre contra o tempo para cumprir a determinação.

Laboratório municipal - A reabertura do Laboratório Municipal esbarra na falta de maquinário e na carência de recursos financeiros para comprar novos e também para manutenção dos equipamentos existentes.

Buscando parceria - A prefeitura tenta incentivar parcerias com as universidades que ofertam cursos na área da Saúde. Propõe que as instituições reabram o Laboratório Municipal.

8 horas -  Ainda não foi bem digerida, pelos servidores, a informação de que a partir do dia 1º de agosto serão cumpridas oito horas diárias nas unidades de saúde. A mudança do horário, desde o ano passado, foi ancorada na necessidade de economia. Atualmente as unidades atendem seis horas sem intervalo.

Pires na mão - A prefeita Ivone Barofaldi e a Secretária de Saúde Alice Maria Macedo, estiveram em Curitiba. Recorreram ao governo do Estado para pedir recursos.  Conversaram também com o ministro da Saúde Ricardo Barros, que estava na capital.

Pé na estrada - A Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (ACIFI), para ampliar os canais de interação com a comunidade, programa atividades de campo. A diretoria vai percorrer a cidade para ouvir os empresários. O primeiro encontro será na quarta-feira (27), com comerciantes da região da Avenida República Argentina, às 17h30, no Teatro Barracão.

Viaduto já - Uma petição digital capitaneada pelo movimento #ViadutosFoz pede a construção de viaduto no trevo da avenida Costa e Silva com a BR-277, em Foz do Iguaçu. A campanha pretende reunir 10 mil adesões a favor da obra de mobilidade no perímetro urbano da cidade.  O trevo é um gargalo irritante para iguaçuenses e visitantes.

Santo de casa - A prefeita Ivone Barofaldi pediu aos representantes do turismo que indiquem um técnico do quadro de servidores para ocupar a Secretaria de Turismo.

Evitar demanda - O Sindicato dos Servidores Municipais de Foz do Iguaçu (Sismufi) abriu diálogo com a prefeita Ivone Barofaldi. A intenção é a de restabelecer o pagamento do adicional insalubridade para servidores atingidos pela suspensão determinada pelo prefeito afastado Reni Pereira. A conversa é uma tentativa de evitar a judicialização.

Alerta Amber - Uma emenda da Comissão de defesa dos Direitos da Criança torna o Alerta Amber uma política de Estado. Ele é um dispositivo já usado em outros países que tem o objetivo de criar uma rede para tornar mais rápida a busca por crianças e adolescentes desaparecidos no estado.

Prioridade máxima – O alerta Amber torna mais ágil a divulgação de informações sobre crianças e adolescentes desaparecidos. A prioridade inclui a utilização de espaços em emissoras de rádio, televisão e sites dos órgãos públicos.

Fim dos bloqueios - Um projeto de lei, em discussão no Senado, quer impedir a interrupção do WhatsApp. A proposta quer evitar que essa suspensão seja usada como medida coercitiva em investigação criminal ou processo judicial cível ou penal.

Contra a corrupção - O projeto das dez medidas de combate à corrupção poderá ter a análise acelerada na Câmara. O objetivo é votar a proposta no plenário até 9 de dezembro, dia internacional de combate à corrupção. Depois de aprovado na comissão, o texto que reúne as "10 medidas anticorrupção" propostas pelo Ministério Público Federal, e recebeu a assinatura de mais de dois milhões de brasileiros, irá ao plenário.

Lava Jato - Mais de dois milhões de brasileiros já visitaram o site oficial da Operação Lava Jato.  www.lavajato.mpf.mp.br.