26°
Máx
19°
Min

De olho nas urnas secretários deixam cargos

Desfalque no primeiro  escalão I - Pelas publicações no Diário Oficial de quinta-feira (31) já estão fora do governo os secretários Sérgio Beltrame (Governo), Anderson de Andrade (Esportes), Elizeu Liberato (Administração) e João Matkievicz (Meio Ambiente). Seis secretários devem deixar os cargos para as eleições.

Desfalque no primeiro  escalão II - Se nada mudar até o final do dia, hoje serão publicadas as exonerações de Cleomar Farias (Segurança), Adailton Avelino Cantor (Fundação Cultural). Duas pré-candidaturas ficaram pelo caminho. Carlos Juliano Budel (Obras) e Eduardo Spada (Agricultura).  

Protesto - Secretários de escolas municipais fizeram protesto na manhã de quinta-feira (31) em frente à Prefeitura cobrando o plano de carreira da categoria. Foi apenas um protesto para marcar posição. Protesto sem nenhum outro efeito! É publico que o limite prudencial da folha já foi atingido e que em ano eleitoral é ano de vedações. Portanto, não existem condições legais para atender os manifestantes. 

Tempos difíceis - A data base dos servidores municipais de Foz do Iguaçu está se aproximando em um cenário complicado. Queda na arrecadação, limite prudencial da folha estrangulado, crise econômica e política. E, para completar, período eleitoral. A combinação é pouco animadora.

Folha complementar - Caso a Prefeitura não deposite nesta sexta-feira (1) o pagamento dos 210 professores que dobraram a carga horária, pode haver paralisação da categoria. A emissão de folha complementar já teria sido autorizada. Só falta confirmar o depósito.

Existem interessados - O Sindicato dos Empregados no Comércio de Foz do Iguaçu (Sinecofi) é fiel depositário dos bens materiais do Super Max. Em janeiro as cinco lojas da Rede Max fecharam. Desde então o sindicato tenta negociar a reabertura dos supermercados. A boa notícia é que existem interessados.

Data prorrogada - O setor artístico não pode reclamar. Terminou ontem (31) o prazo para a apresentação de projetos que levem atividades artísticas e culturais até os bairros de Foz do Iguaçu. A Fundação Cultural prorrogou o prazo final em 15 dias para a apresentação de interessados. Das duas uma: Faltou interesse ou faltaram projetos suficientes para atender o edital.

 Até R$ 20 mil - Serão classificados cinco projetos de oficinas, nas áreas de dança, música, teatro e atividades circenses com valor máximo de financiamento de cada um de R$ 20 mil, por pessoa jurídica.

Concurso público - Novos parquímetros estão em funcionamento na região central e na Vila Portes. A intenção de terceirizar o serviço esbarrou na Lei que não permite o procedimento. Portanto, para melhorar a fiscalização será necessário abrir concurso público.  

Prazo para  regularizar - Quem teve o título cancelado por não realizar o cadastramento biométrico deve procurar a Justiça Eleitoral para regularizar a situação a partir de abril. O Fórum Eleitoral vai atender no período da tarde para regularização, transferência e a solicitação do primeiro título. Muita gente só descobriu isso depois de muitas horas de fila. Mas, é bom lembrar que esse prazo também acaba.

Cadastro biométrico - Na manhã de quinta-feira (31) o Fórum Eleitoral registrava 154.365 eleitores cadastrados biometricamente em Foz do Iguaçu e 16.260 em Santa Terezinha de Itaipu. Desde três de novembro do ano passado, 170.265 passaram pelos guichês de atendimento.

Tempo perdido - Estranhamente algumas pessoas formavam fila no Fórum Eleitoral de Foz do Iguaçu no final da madrugada de sexta-feira (01). O prazo para o cadastramento foi encerrado na quinta-feira (31).

Mulher na política - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou a Campanha Institucional "Mulher na Política". O objetivo é incentivar a participação feminina nos pleitos eleitorais. Mesmo representando a maior parte do eleitorado, a média da presença feminina no parlamento coloca o Brasil numa situação mundial muito ruim. Elas ocupam pouco mais 10% das cadeiras na Câmara e no Senado.

Tá na lei - A campanha do incentivo a participação feminina no processo eleitoral faz parte da Lei das Eleições. A legislação determina que o TSE deve promover propaganda institucional em rádio e televisão destinada a incentivar a participação feminina na política, de 1º de abril a 30 de julho dos anos eleitorais.

Obrigatoriedade - Os partidos devem cumprir o preenchimento obrigatório das chapas de candidatos com 30% de vagas destinadas às mulheres. O número de candidatos está diretamente relacionado ao número de candidatas que devem participar ativamente do processo eleitoral. O detalhe é o controle em relação as candidaturas de “faz de conta”. Muitos partidos registravam candidatas só para cumprir tabela.

Incentivo - A Reforma Eleitoral promoveu algumas mudanças no que se refere à aplicação do Fundo Partidário e a sua destinação como forma de incentivo à participação feminina na política. Segundo o novo texto, o percentual a ser aplicado será fixado pelo órgão nacional de direção partidária, observado o mínimo de 5% do total.

Dinheirama para partidos – Já que o assunto é Fundo Partidário, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) distribuiu, aos 35 partidos políticos registrados no Tribunal, R$ 66 milhões dos valores do Fundo e das multas eleitorais referentes ao mês de março. No primeiro trimestre os partidos receberam mais de R$ 184 milhões. Dados completos disponíveis no site do TSE (http://www.tse.jus.br/partidos/fundo-partidario).

Pró-Dilma – A manifestação organizada pela “Frente Brasil Popular” contra o impeachment reuniu pouco mais de 500 pessoas em Foz do Iguaçu.