26°
Máx
19°
Min

H1N1 e microcefalia. Saúde atualiza números de casos e de vítimas

Gripe letal - O número de mortes provocadas pelo vírus H1N1, emtodo o país,  subiu para 1.003 e oinverno só começou na segunda-feira (20). No Paraná, até quarta-feira (22), foram confirmados 725 casos porInfluenza. Deste número, 671 são por H1N1.

Pedido preventivo - Com o registro do aumento dos casos de gripe, ogoverno do Estado solicitou ao Ministério da Saúde mais 100 mil tratamentosOseltamivir, o Tamiflu. O início do tratamento, em até 48 horas depois doagravamento dos sintomas, é muito importante e faz toda a diferença para arecuperação do paciente.

Momento oportuno - Dados da Secretaria estadual da Saúde apontam que 70%dos pacientes que morreram por Influenza não receberam a medicação em momentooportuno. 

Vírus Zika - Desde outubro do ano passado, 8.039 casos suspeitos demicrocefalia foram notificados pelos estados. Até o dia 18 de junho, oMinistério da Saúde confirmou 1.616 casos da doença e outras alterações dosistema nervoso em bebês de todo o país. Os registros foram investigados e 233casos tiveram confirmação para o vírus Zika.

Óbitos - No mesmo período foram registrados 324 óbitos, em que 86tiveram confirmação para microcefalia ou alteração do sistema nervoso central.Os dados do boletim epidemiológico reúnem informações repassadas toda semanapelas secretarias estaduais de saúde. 

Comissão Processante – Além da Justiça Federal, que analisa denúnciasenvolvendo a sua administração, o prefeito Reni Pereira (PSB) tem mais umproblema para enfrentar. O vereador Dilto Vitorassi (PV), presidente daComissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que acompanha a Operação Pecúlio,afirmou que já existem indícios suficientes para afastar o Prefeito do cargo.

Poucos detalhes - O vereador aponta que existem documentos suficientespara requerer uma comissão processante. Afirma que faltam poucos detalhes paraa produção do relatório final.      

Budel na Câmara - Nesta quinta-feira (23) o ex-secretário de Obras deFoz do Iguaçu, Carlos Juliano Budel, será ouvido pela comissão da Câmara. Budeldeverá ser conduzido por policiais federais. O ex-diretor de pavimentação,Aires da Silva é o primeiro listado para ser ouvido. 

Pedido de reconsideração - O advogado Osvaldo Loureiro, defensor de Budel, disseque, diante dos novos fatos, “voltará a golpear a porta do juízo” e pedirreconsideração do pedido de liberdade do seu cliente.

Exonerações publicadas - O Diário Oficial do Município publica na edição destaquinta-feira (23) as exonerações dos servidores Valter Schoereder, ValterSchoereder Filho, Gilber Trindade e Luiz Carlos Alves. Os exonerados forampresos na terceira fase da operação Pecúlio na terça-feira (21).  

Lei do Estágio - Em audiência pública na Comissão de Educação daCâmara dos Deputados, participantes defenderam o aprimoramento da legislação deestágio. Os participantes citaram a importância social e econômica do estágio. Porém,reforçaram a necessidade de se evitar que o estagiário seja usado, de formafraudulenta e indevida, como mera substituição de mão de obra.

Ajuda econômica -  O Centrode Integração Escola-Empresa (CIEE) aponta que no Brasil há 400 mil aprendizesque, em sua maioria, auxiliam a família com a bolsa-auxílio que recebem.

Leis mais duras - Procuradores da República estiveram na CâmaraFederal para defender um projeto de lei que traz dez medidas de combate àcorrupção. O texto tramita na Casa e foi sugerido pelo Ministério PúblicoFederal. O projeto faz uma série de mudanças no Código Penal e nas leis decombate à corrupção.

Penas maiores - São dez medidas de combate à corrupção que compõemo texto do projeto de lei sugerido pelo Ministério Público Federal. A proposta aumentaas penas previstas para os crimes de corrupção, para que sejam punidos com pelomenos quatro anos de prisão.

Punição é piada - Atualmente a corrupção é punida com dois anos dereclusão. Para o procurador do Ministério Público Federal Deltan Dalagnoll, “apunição é uma piada”.

Participação popular - Além da mudança na lei, é preciso melhorar,qualificar a ampliar a fiscalização e, principalmente, promover aconscientização popular. A chave do sucesso na aplicação das medidas é ointeresse popular na mudança de comportamento e na melhora da percepção sobre acorrupção e seus efeitos.