22°
Máx
14°
Min

Saúde Pública: Laboratório de análises clínicas “encerra atividades”

Liminar derrubada - Sem receber e sem interesse em renovar o contrato, o laboratório de análises clínicas que atendia a rede pública de saúde encerrou as atividades. O recado foi dado com um comunicado colado na porta. Na semana passada o atendimento foi garantido em razão de uma liminar que impedia a interrupção das coletas e exames.

Faturas acumuladas - A dívida costeia os R$ 2 milhões. Segundo o representante do laboratório o débito estava comprometendo a operação. A Fundação Municipal de Saúde, por sua vez, alega que parte do pagamento depende da conclusão de uma auditoria realizada pela 9ª Regional de Saúde.

Ajuda externa – Durante a madrugada de terça-feira (12) o laboratório do Hospital Ministro Costa Cavalcante deu suporte ao Hospital Municipal realizando os exames necessários.

Buscando credenciados - A direção da Fundação Municipal de Saúde busca credenciar laboratórios para atender a demanda, média, de 100 mil exames mensais da rede municipal.

Paciência - Para a  terça-feira (12) a Fundação Municipal de Saúde providenciou atendimento emergencial e negocia o credenciamento para atender a UPA 24h, o Pronto Atendimento do Morumbi e o Hospital Municipal. Quem depende da rede municipal terá que ter um pouco mais de paciência.   

Sem fisioterapia - Sem credenciamento as clínicas de fisioterapia suspenderam o atendimento dos pacientes da rede pública de saúde.

Lista pública - Em Foz do Iguaçu uma lei municipal obriga a publicação, no site da Prefeitura, da lista de espera dos Centros Municipais de Educação Infantil.  

Mesários voluntários - A Justiça Eleitoral está fazendo o chamando de mesários voluntários para trabalhar nas eleições municipais em outubro. Em Foz do Iguaçu serão necessários 2.500 mesários.

Aval legislativo -  Agora só depende da sanção do governador Beto Richa. A Assembleia Legislativa aprovou o projeto que torna obrigatória a autorização do Legislativo no caso de renovação de contratos de pedágio no Paraná.

Bolso do contribuinte - Dói nos ouvidos do setor produtivo ouvir a previsão de que o cumprimento da meta fiscal do próximo ano depende do esforço do governo federal em adotar medidas que elevem a arrecadação federal. Traduzindo: “Mais tributos”.

Namoro antigo - A possibilidade de se recriar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) retorna à cena.

Abuso de autoridade - O único item da pauta da Comissão da Consolidação da Legislação Federal e Regulamentação da Constituição é o projeto que atualiza a legislação sobre abuso de autoridade. A reunião acontece nesta terça-feira (12).

Polêmica estabelecida - De autoria do presidente do Senado, Renan Calheiros, a matéria tem provocado polêmica entre os senadores. Há quem veja na proposta uma tentativa de intimidação que poderá impedir investigações.

Defensor da proposta -   Por sua vez, Renan defende o projeto. Para o senador urge a alteração na legislação atual sobre o tema que ele considera “anacrônica e gagá”.