27°
Máx
13°
Min

Vereadores analisam veto ao projeto que regulamenta publicidade

Poluição visual - O presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Foz do Iguaçu, o empresário Roni Temp, após reunião com a vice-prefeita Ivone Barofaldi, disse que o veto ao projeto que regulamenta a publicidade teria sido um equívoco. Atribuiu o fato ao excesso de decisões exigidas da vice-prefeita nos primeiros dias de governo interino. 

Pela derrubada - Pelo sim e pelo não o caso agora depende do Legislativo. O vereador Dilto Vitorassi (PV), presidente da Comissão Mista da Câmara Municipal, disse que vai pedir ao plenário a derrubada do veto.

Trabalho voluntário - O Codefoz está criando uma câmara técnica da saúde. O objetivo é contribuir reunindo pessoas com conhecimento na área dispostas a ajudar de forma voluntária.

Última hora - Quatro partidos tiveram problemas com o registro de seus candidatos a vereador. Com o fim do horário determinado pela Justiça Eleitoral quem deixou para a última hora corria o risco de enfrentar o previsível risco de algum problema.  O que era considera improvável, aconteceu.

RRCI – Porém, os candidatos aprovados em convenção têm ainda a possibilidade do registro individual. Segundo a legislação, até 48 horas seguintes à publicação da lista dos candidatos pela Justiça Eleitoral os interessados devem apresentar o pedido com a documentação exigida.

Reunião preventiva - A Divisão de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde realiza nesta terça-feira (16) reunião para discutir o plano de contingência da dengue. A doença é motivo de preocupação na fronteira.

Público esperado - A reduzida procura pela vacina, cerca de 1,8 mil adolescentes e jovens foram imunizados nos primeiros dias da campanha de vacinação contra a dengue, já era esperada. Novas estratégias serão adotadas para atingir o público-alvo.

Reduzir internações - A imunização é mais uma ferramenta de combate a epidemia. Serão ministradas três doses. A vacina pretende dificultar a transmissão do vírus, reduzindo em até 80% as internações hospitalares.

Números assustadores - Nos primeiros sete meses do ano foram confirmados 6,5 mil casos de dengue em Foz do Iguaçu. No mesmo período, 14 pessoas morreram.

Acertado parcialmente - O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SISMUFI) ainda desistiu de discutir o horário de trabalho dos servidores da área da saúde. Nas unidades básicas já está tudo acertado. O foco agora é ajustar os horários na central, Centro de Controle de Zooneses, CAPs e Vigilância.

Direito adquirido – O Sismufi tenta, agora, reaver o adicional de insalubridade cortado de alguns servidores.

Pacote fiscal - O chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e o secretário de Estado da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, trataram de tentar reduzir a desconfiança quanto ao pacote fiscal encaminhado à Assembleia Legislativa.

Continuidade - Os porta-vozes do governo juram de pé junto que as alterações propostas não geram sobrecarga ao contribuinte paranaense além de garantir mais receitas para o Paraná. Tratam a proposta de agora como a continuidade do ajuste fiscal, implementado desde o fim de 2014.

Copel e Sanepar - Entre os pontos polêmicos está o pedido de autorização para a alienação de ações da Copel e da Sanepar, desde que assegurada a manutenção do controle acionário pelo Estado. O governo calcula que a medida deva gerar uma receita de cerca de R$ 100 milhões ao ano.

Aviso prévio - A Assembleia Legislativa aprovou um projeto de lei que obriga as operadoras de planos de saúde no Paraná a avisarem com antecedência os seus clientes sobre os descredenciamentos de médicos, clínicas e hospitais. O projeto segue agora para a sanção do Poder Executivo.

Teste de integridade - A aplicação de testes de integridade não é consenso na Comissão da Câmara Federal. O teste consiste em fazer a simulação, aleatória ou dirigida, de situações de corrupção sem o conhecimento do agente público. O objetivo é o de testar a conduta moral e a predisposição do servidor para cometer atos ilegais contra a Administração Pública.

Alerta obrigatório - A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal aprovou projeto que obriga os estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas a exibir, em lugar visível, informações sobre centros de tratamento de alcoolismo. Os cartazes devem, também, informar que é crime dirigir sob a influência de álcool.

Estatística preocupante  - Segundo a Organização Mundial de Saúde, o álcool mata mais de 3 milhões de pessoas por ano no mundo. No Brasil, cerca de 10 por cento da população é dependente do álcool.