22°
Máx
17°
Min

Fantasma: tem que assombrar e não deixar dúvidas

(Foto: Divulgação / Bianca Machado) - Fantasma: tem que assombrar e não deixar dúvidas
(Foto: Divulgação / Bianca Machado)

O Operário poderia e deveria ter alcançado uma vitória ontem em Maringá, mas trouxe apenas um empate. Os jogadores que estão vestindo a camisa alvinegra na Copa FPF Sub-23 ainda não sabem o que ela representa para os torcedores. Alguns em início de carreira não sabem exatamente o que significa defender um time com a tradição do Operário Ferroviário.

Eles – jogadores – não podem mostrar imaturidade como mostraram na partida de ontem contra o Grêmio de Maringá. Sentiram-se os donos da situação quando tiveram o placar de 1 a 0 favorável. Sabe aquela sensação de que o jogo está fácil?

(Foto: Divulgação / Bianca Machado)(Foto: Divulgação / Bianca Machado)

Apesar da fragilidade dos donos da casa, o Fantasma permitiu a virada e lutou para conseguir a igualdade no placar ainda durante o primeiro tempo.

Partilho do pensamento de que o Operário tem a obrigação de ganhar está competição para garantir a vaga no Brasileiro da Série D.

Porque obrigação? Pelo investimento, pelo potencial econômico da cidade e, claro, para amenizar a tristeza dos torcedores com a queda para a segunda divisão do Futebol Paranaense.

(Foto: Divulgação / Bianca Machado)(Foto: Divulgação / Bianca Machado)

O técnico Gerson Gusmão está fazendo tudo que pode para melhorar o rendimento da equipe, mas é fundamental que os próprios jogadores se esforcem um pouco mais, deixem as firulas e os pecados da preciosidade para quando estiverem sobrando em campo. O momento é de mostrar empenho e qualidade, e não desperdiçar oportunidades como as de ontem.

Certamente, muitos jogadores que estão em outras agremiações gostariam de poder vestir a camisa do Fantasma. Afinal, está é uma grande vitrine para quem quer alçar voos mais altos no futebol – e para chamar a atenção é muito simples, simples demais: é só jogar bola.