21°
Máx
17°
Min

O caminho agora é esse

A partida amistosa realizada ontem entre Operário e a equipe amadora 'Novo Mundo de Curitiba’ deixou patente aos torcedores do Alvinegro como será difícil a segunda divisão. A disputa da segundona no Paraná nem de perto se assemelha ao nível de competição que o torcedor estava acostumado a ver com os jogos na Divisão de Elite.

Campos com gramados irregulares e vestiários em péssimas condições são apenas alguns fatores com os quais a diretoria terá que se preocupar. O Campeonato da Divisão de Acesso tem ainda uma característica muito própria, com equipes aguerridas apresentando um futebol de pegada e ‘tapinha na cara’ do adversário, deixando o nível técnico em segundo plano.

Para obter êxito e com isso retornar à primeira divisão, o Operário precisa da manutenção do grupo de gestores e, principalmente, da união dessas pessoas que hoje formam este grupo. Outra medida a ser tomada é garantir tranquilidade e condições para a atual comissão técnica realizar um bom trabalho a médio prazo e por fim, a contratação de jogadores que tenham o perfil de uma segunda divisão com futebol de primeira.

Ainda é muito cedo para uma análise sobre o trabalho do técnico Gerson Gusmão, mas ele tem a vantagem de contar com o apoio da torcida e da imprensa esportiva, diferente de seus antecessores que nunca alcançaram este tipo de aceitação.

Apesar do longo e árduo caminho a ser percorrido pelo Fantasma para retornar a divisão principal do Paraná, torcida, diretoria e imprensa apostam sem hesitar no sucesso do projeto, agora um pouco mais modesto.