24°
Máx
17°
Min

União, a palavra chave

(Foto: Diego Machado) - União, a palavra chave
(Foto: Diego Machado)

Quando se conquista um título importante como foi o do Operário em 2015, falta espaço para tanta gente na fotografia, quando estádio está cheio é uma maravilha. Mas agora, em tempos de vacas magras, sobram apenas os guerreiros. E não estou me referindo aos torcedores neste momento, e sim aos dirigentes.

Já foi assim logo que o presidente Pontarollo assumiu e, infelizmente, o fato se repete com o empresário Álvaro Góes à frente do Operário Ferroviário. Agora é hora de deixar o orgulho de lado, as diferenças, se elas existirem, e promover a união entre aqueles que podem promover um futuro promissor ao time.

A solução está na unidade do grupo de empresários que hoje comanda futebol do clube. Todos gozam de enorme credibilidade junto à sociedade ponta-grossense, são homens de sucesso em seus respectivos negócios e podem determinar um novo rumo para o Fantasma.

Mas não existe outra palavra melhor do que ‘união’. P momento requer cautela e disposição, diálogo e bola pra frente. Os dirigentes têm que jogar unidos fora de campo, mostrar a mesma garra dos meninos quando pisam no gramado e vencer esta etapa, que pode ser o início de uma grande transformação.