22°
Máx
14°
Min

20 anos sem Renato...

- 20 anos sem Renato...

“Que país é este?” Perguntava uma banda brasileira que nasceu na capital Brasília. Este é o país do futebol. E agora o país do ouro olímpico do futebol, que dividiu as atenções com o vôlei de ouro, com os nossos heróis Paralímpicos detonando no Rio. É o país da briga pelo poder, celebrando a fome, celebrando “a cada fevereiro e feriado”.

“Que país é este?” É o país da corrupção, do Mensalão e da Lava-Jato, “no Amazonas, no Araguaia, na Baixada Fluminense”. País da corrupção na CBF, onde seu presidente não podia viajar, pois seria preso antes do embarque. O Brasil da disputa de poder, “dos mortos por falta de hospitais”. “Que país é este?” O país dos impostos e da aprovação do controle de gastos discutidos dentro das salas de aulas ocupadas. E hoje é dia de seleção. Brasil em campo nas Eliminatórias para a Copa da Rússia, tentar fazer o que não fizemos em casa. A seleção brasileira que tomou de 7x1 em plena Copa do Mundo em casa. “Piada no exterior. É a festa da torcida campeã”, diria Renato.

Hoje, 11 de outubro, faz 20 anos que Renato Russo morreu e ainda hoje vende 250 mil álbuns por ano, entre discos solo e da Legião Urbana. Mesmo em tempos de crise, em tempos de downloads, em tempos de guerra pelo poder, as letras deste grande poeta brasileiro ainda estão presentes e atuais, num país sem Raulzito, Senna, Cazuza, Renato, voltamos ao passado para buscar referências, afinal “o Brasil é o país do futuro”, até quando, Renato?