28°
Máx
17°
Min

Atlético campeão

O torcedor do Atlético estava com o seu adversário engasgado há pelo menos 7 anos. E fez a final perfeita para comemorar um título que se deu de forma máxima e acima de qualquer dúvida. Não temos que discutir arbitragem, não temos um só tipo de “se não” a fazer. Foram dois jogos em que só o rubro-negro da baixada jogou. O que é principal neste título do Clube Atlético Paranaense, é parabenizar a sua torcida, dirigentes, funcionários, comissão técnica e jogadores do clube que conquistaram o título paranaense com total superioridade.

São vários tabus quebrados, que se tornam histórias para contar. Histórias de um time de futebol que tem um símbolo: Walter Henrique da Silva. Não somente pelo gol que fez, em um momento crítico da partida, onde o Atlético tomava pressão e o adversário pressionava e por falta de um “Walter”, não fez pelo menos dois gols que não seria habitual um cara como o Walter perder. O mesmo Walter perdera um gol embaixo da trave momentos depois, deixando a oportunidade passar.

Mas como diz a mística, era para ser, deveria ser com ele, o cara simples, de astral bom, menino que se esforçou para voltar ao Atlético, voltou, emagreceu, recebeu todo o tipo de crítica, porque a bola não entrava desde novembro de 2015. E justamente no momento em que o jogo precisava de um gol, Walter estava lá e fez.

O Atlético venceu as duas partidas de forma indiscutível e ainda viu um ídolo brilhar e renovar a esperança de uma temporada que só está começando. Walter é este símbolo de esperança, de recuperação, de jogadores que não chegaram como favoritos, mas derrubaram tabus, quebraram as estatísticas, escreveram mais um capítulo na sua história. Você pode discutir números, você consegue fazer a matemática que quiser, mas um argumento não se derruba, nem mesmo com decreto em tempos de crise política. O Atlético é Campeão Paranaense de 2016.