21°
Máx
17°
Min

Coritiba, Atlético e Paraná

O Corinthians se aproveitou do comportamento juvenil dos jogadores do Coritiba e assumiu a liderança apertada do Brasileirão, com o Grêmio grudado nos 13 pontos. Qualquer pessoa que assista jogos de futebol há algum tempo, sabe que, quando vê jogo de 1x0, nos minutos finais não pode mais ter jogo. Normalmente são 4, ou 5 minutos de chutão “pro mato”, jogador pedindo atendimento médico, demora para a cobrança de um tiro de meta, reclamação com o bandeira, faltas na meia cancha, esfriar o jogo ao máximo, substituição, enrolar até a partida acabar. Quando os jogadores do Coxa aprenderem isto, vai marcar 3 pontos, ou que saia em busca de fazer mais gols e não passar este sufoco outra vez.

Coritiba e Atlético tem desempenhos parecidos e um não pode dizer que é muito superior que o outro, porque a diferença de 3 pontos de vantagem para o rubro-negro não pode ser comemorada. O Atlético vive momentos de acertos, mas a torcida também mostra certa impaciência com os jogos. A Arena da Baixada deu uma resposta, vaiando o time em alguns momentos do jogo contra o Santa Cruz. O alívio é que nenhum time está sobrando e o Campeonato Brasileiro está embolado. Ainda há tempo de recuperar, contratar, reforçar, voltar a vencer e convencer seus torcedores.

Se o torcedor paranista der uma olhada na tabela de classificação, percebe que está 2 pontos atrás do G-4. Alguns torcedores reclamam que o time está muito retrancado, mas Série B é assim mesmo. Melhor manter a pegada de jogar com cautela fora de casa. Trouxe 2 pontos importantes nas duas partidas fora em Londrina e Goiania. Neste último jogo, a lógica seria vencer o Vila Nova, pela posição do adversário, mas a expulsão de um jogador aos 11 minutos do primeiro tempo, deixaram a partida mais difícil. Difícil mesmo será hoje, contra o segundo colocado, Atlético Goianiense, mesmo em casa.