24°
Máx
17°
Min

Coxa vende sofá...

Com a demissão do Diretor de Futebol do Coritiba, a pergunta do velho comercial de televisão famoso não me sai da cabeça: “É gostoso por que é fresquinho? Ou é fresquinho porque é gostoso?” Sim, porque na semana passada, a segurança que a diretoria dava na permanência do técnico Gilson Kleina, se fixava no argumento de que o time estava jogando bem e a “culpa” era dos acréscimos da arbitragem no jogo contra o Santos e na grande dificuldade que era enfrentar times grandes já de cara. Era bom porque contratava bem? Ou contratava mal e foi bom mesmo assim?

Sendo assim, podemos imaginar que o Diretor de Futebol do Clube estava fazendo também o seu papel, pois os jogadores que ele contratou estavam jogando bem. Certo? Não, porque o Diretor de Futebol foi dispensado e o argumento para isso era que Waldir Barbosa tivesse a cabeça negociada no clube.

A demissão deste profissional soa como a expressão: “Fato novo” do futebol. Para não dispensar o técnico, alguém dançou. E na minha singela opinião esta demissão pode até fazer algum efeito, pois a diretoria deverá fazer outras contratações e eu até acredito que o time precisa de reforços urgentes e pontuais, mas este tipo de demissão é o mesmo que o marido traído pegar a mulher com o amante no sofá e de raiva, vender o sofá.