22°
Máx
16°
Min

É decisão... é Atletiba, baby!

Por onde ando a pergunta do torcedor é sempre a mesma: Será que o Coritiba consegue reverter o placar? Será que a taça do Atlético já está garantida? Eu não seria doido em prever resultado. Se fosse para apostar um placar... não. Não vou fazer isto.

Faço parte da crônica esportiva desde 2001 e já vi muitas previsões caírem por terra. Mas, o que eu posso dizer é que não será um jogo para se perder. Mesmo você que não torça para nenhum dos dois clubes, mas se gosta de futebol, aconselho assistir.

Paulo Autuori disse que não levará o resultado para o Couto. Psicologicamente, os jogadores do Atlético fizeram um placar além do esperado. Então, na teoria, eu poderia apostar que um técnico vai aconselhar seus jogadores a não entrarem na correria do adversário. O Coritiba está fazendo desta semana uma série de promessas. O torcedor está ouvindo a promessa de suar sangue, de lutar até o último minuto.

Um jogo se ganha antes do árbitro apitar o início de partida. Na semana, na amizade do elenco, nos treinamentos, no clima certo, na conversa, na armação técnica e tática, na concentração, na preleção, naquele papo entre os jogadores antes do túnel, no grito de guerra antes de entrar em campo, no barulho da torcida...  e a vitória está em acreditar em todos os lances... e o resultado é a soma de tudo isto. Sabe quando a conta bate? Exato!

Mas, prever quem terá esta vibração eu não tenho condições. Nem mesmo quem está ao lado dos elencos podem prever. São combinações invisíveis, que fazem um time pequeno da terceira divisão ganhar do time grande numa Copa do Brasil. O dia bom de um time contra um dia ruim do adversário. São combinações invisíveis, que inspiram um jogador a fazer gols somente em clássicos. São combinações que fazem do futebol diferente dos outros esportes, onde o time melhor sempre vence. E o mais importante: É decisão. É um clássico. É Atletiba.