22°
Máx
14°
Min

Matemática do trio curitibano

Vamos fazer uma matemática simples e objetiva. O Coritiba está em fase de se recuperar de um primeiro turno muito ruim. De tão ruim, esta bela sequência de 5 jogos invictos não fez nem cócegas na classificação do time, que está dois pontos fora da ZR. É a primeira derrota no segundo turno, faz uma excelente campanha nesta fase, mas devido ao péssimo rendimento anterior, agora pena para voltar a disputar o Campeonato Brasileiro sem se preocupar com o fantasma do rebaixamento e ainda vê outros times se recuperarem.

O Paulo Autuori tira sempre um coelho da cartola e arranja um time para montar. Sua filosofia de rodar os jogadores, muito criticada por muitos torcedores, acaba funcionando agora, quando ele perde peças para a diretoria. E a vitória contra o Inter acaba sendo uma obrigação cumprida e a situação do time na tabela fica naquele gostinho de dizer “já poderia estar no G-4”. São 4 pontos atrás do G-4. Mérito ao treinador, que consegue fazer esse time jogar, mesmo sem o torcedor saber de cor a escalação da próxima partida.

No Paraná Clube, agora volta a disputa, se livrando com uma pequena folga na ZR e mirando melhorar o desempenho. Lógico que uma vitória dessas, contra um time que disputa o G-4 é importante, como também foi aquela contra o Vasco em São Januário. Mas, o tricolor precisa urgente engatar uma sequência de bons resultados, pois ainda dá tempo de sonhar, mas se não vir esta sequência, são poucas rodadas para uma possibilidade de subir neste ano, em que o nível desta Série B está tão instável.