21°
Máx
17°
Min

O que eu vi de Coritiba x Avaí

Me lembro a primeira vez que apresentei o programa Show de Bola.  Logicamente fiquei nervoso, ansioso, empolgado e talvez pelo fato de estar preparado pela experiência adquirida, consegui me sair bem e até hoje lá se foram seis anos com bastante sucesso. A estrutura da empresa, as pessoas que dão o suporte e o trabalho em equipe me fizeram evoluir muito ao longo deste tempo todo. Procuro este gás renovado a toda nova cobrança de metas dentro do nosso projeto. E porque eu estou tocando neste assunto?

Vou explicar:

Ontem estava assistindo ao jogo do Coritiba contra o Avaí e vi na oportunidade que alguns jogadores, a chance de entrar jogando e ser o responsável pela posição como titular, com torcida, chance de mostrar ao seu técnico que pode ser aproveitado no time principal. Técnica e taticamente o jogo não foi dos melhores. Mas, eu vi nos olhos de muitos meninos do Coritiba a mesma garra e vontade de entrar em campo e jogar “pra valer”. Até esqueci que o jogo era de um time que não almejava nada neste torneio, esqueci a qualidade do adversário e somente consegui perceber em alguns jogadores a vontade de entrar em campo e dar o melhor. Elisson, Cesar Benítez, Ícaro, Vinícius e Leandro queriam muito e me convenceram disto jogando bola. Entrosados com os titulares, podem desbancar ou fazer sombra para os jogadores consagrados se tiverem mais oportunidades. Uma coisa eles ensinaram aos jogadores vindos de outros grandes clubes do futebol brasileiro, que é dar importância de entrar em campo como se fosse um jogo super importante, com orgulho de estar naquele clube, fazendo de um jogo que não valia nada um grande jogo para cada um. Esta garra e um entrosamento maior, faria uma diferença enorme dentro de uma competição oficial. Coletivamente faltou entrosamento, mais parecia um primeiro jogo de pré-temporada, mas eu estou destacando do modo como estes atletas entraram nas jogadas, como eles correram, a vontade de suar a camisa e o modo como acreditavam em todas as bolas. Este sentimento vence partidas e fazia tempo que não via dentro do Coritiba. O torcedor se acostumou a ver no Coxa somente dois tipos de jogos ultimamente: burocráticos ou dramáticos. Aos jogadores ditos titulares absolutos, que tal lembrarem de quando vocês eram obrigados a mostrar serviço e entrarem em campo com a vontade destes garotos?