26°
Máx
19°
Min

Onze dias após ganhar a liberdade, 'Batman' é preso novamente

(Foto: Polícia Civil do Piauí/Divulgação) - Onze dias após ganhar a liberdade, 'Batman' é preso novamente
(Foto: Polícia Civil do Piauí/Divulgação)

Um dos assaltantes de banco e carro forte mais perigosos do Brasil foi preso onze dias após ganhar a liberdade condicional. Rogério Mattos da Luz, 39 anos, conhecido nacionalmente por "Batman", foi preso desta vez no estado do Piauí. A Polícia Civil do Piauí, por meio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) com apoio da Delegacia de Entorpecentes (DEPRE), Polinter e Batalhão de Operações Policiais Especiais, deflagrou neste sábado (10) uma operação policial que resultou na prisão de nove pessoas acusadas de praticarem roubos a bancos e diversos crimes no estado.

Foto: Polícia Civil do PiauíFoto: Polícia Civil do Piauí 

Além das prisões foram apreendidos materiais explosivos, armas, drogas e carros roubados. Entre os presos, um deles usou nome falso. Batman se identificou por Waldemar Muller, mas não demorou muito para descobrirem que se tratava de Rogério Mattos da Luz.

Foto: Polícia Civil do PiauíFoto: Polícia Civil do Piauí 

No dia 16 de agosto deste ano, policiais civis do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE) prenderam Rogério, mas ele ficou preso apenas 13 dias quando ganhou liberdade condicional. Ainda no começo deste ano, Rogério acabou perdendo parte do braço direito quando supostamente manuseava explosivos. Ele ficou internado em estado gravíssimo no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, mas sobreviveu.

FICHA CRIMINAL EXTENSA

Rogério possui passagens pelo 7.ºDP, Delegacia de Furtos Roubos (DFR), Delegacia de Colombo, Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), Delegacias de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) e Cope. Ele é suspeito de roubos no Paraná e em Santa Catarina. “Batman” é apontado como autor de furtos em Enéas Marques em 1998; roubo a uma agência dos Correios e a uma loja do Baú da Felicidade, em Curitiba, em 1999; e roubo em Pinhais, em 2002 e em 2007, quando foi preso com uma metralhadora .30.

Ele também é suspeito de diversos furtos a caixas eletrônicos. Também é o principal suspeito a assaltar um comboio de carros-fortes na Serra da Dona Francisca, em Santa Catarina. Em 8 de dezembro de 2012, uma quadrilha bloqueou a SC-301 e, utilizando explosivos e armamento de guerra, como um fuzil AK-47, roubou os malotes de dinheiro dos caminhões.

Foto: Polícia Civil do ParanáFoto: Polícia Civil do Paraná

Em 2006, ele foi preso pelo Cope em uma operação conjunta com a Polícia de Santa Catarina com com três fuzis, uma espingarda calibre 12, pistolas .40 e .380, três granadas, quinze carregadores, quatro rádios comunicadores, duas insígnias da Polícia Civil de São Paulo, dois jalecos da Polícia Federal, quatro coletes balísticos, e diversas munições. Em dezembro de 2007, ele foi preso por policiais quando vinha de Foz do Iguaçu com destino a Curitiba com uma metralhadora anti-aérea.

No dia 27 de agosto de 2012, após uma abordagem a suspeitos no bairro Santa Terezinha, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, o investigador Novalski, da Delegacia do Alto Maracanã, foi baleado com um tiro de metralhadora no ombro durante confronto com a quadrilha de “Batman”. Foram presos na ocasião a mulher do “Batman” e outros dois marginais. Foram aprendidos oito bananas de dinamite, rádio comunicador, um fuzil, uma metralhadora, cinco coletes balísticos, cordel detonante, diversas munições e carregadores.

No dia 18 dezembro de 2012, foi preso por policiais do Cope, numa casa de luxo, em Copacabana, no Rio de Janeiro. Nesta prisão, os policiais montaram uma mega operação para prendê-lo. A caçada durou um mês, contando com o apoio das polícias da Bahia, Espirito Santo e Rio de Janeiro, estados por onde “Batman” passou.

Em uma ação registrada por “Batman” e seu grupo, eles assaltaram um carro-forte da Prossegur, na divisa entre o Alto Boqueirão e o Sítio Cercado, em Curitiba. Na ocasião, eles levaram um malote com R$ 147 mil. No local do crime, a polícia encontrou cápsulas de pistola calibre 9 milímetros, de espingarda calibre 12 e de fuzil 762. Dois vigilantes ficaram gravemente feridos no confronto armado.