27°
Máx
13°
Min

... e faltam somente sete dias!

Sete dias: é o que falta para nos livrarmos do maior desastre político, econômico e gerencial da história brasileira chamada Dilma Rousseff, instrumento de um partido político - o PT - que se converteu em organização criminosa (ou teria sido o contrário?), ambos criados e atuantes à imagem e semelhança de Luís Inácio Lula da Silva, o mito que não resistiu à verdade.

E a verdade é curta e grossa: Lula é uma fraude grotesca, que foi cultuado por milhões de iludidos por seu carisma e oratória e pela promessa de promover a “maior revolução social da história”, levar o país ao circuito das potências mundiais e impor a ética com regente da vida nacional.

O que fez foi, ao subordinar nossa política externa aos interesses financeiros dele e da cúpula do PT, transformar o Brasil num “anão diplomático”, destruir o legado econômico erguido a duras penas pelo Plano Real – legado que irrigou os programas sociais também herdados aos quais deu novo rótulo – e criou a maior organização criminosa de que se tem notícia: o conluio de agentes públicos, diretores de estatais e empresários para irrigar os cofres do PT e seus cúmplices e as contas bancárias dos dirigentes desses partidos.

O culto a Lula derreteu sob a avalanche de acusações (fundamentadas) contra ele e seu partido e o desastre econômico que gestou no final de seu segundo mandato, ao renegar o receituário do Plano Real, desastre consumado por Dilma. Lula é cultuado hoje apenas por militantes fanatizados e pelos úteis nada inocentes, beneficiários dos programas sociais (que minguam por falta de recursos) e apaniguados do poder.

O plenário do Senado dará início em uma semana, salvo acidente de percurso, ao julgamento de Dilma por crime de responsabilidade. E, então, tchau querida! Ela se afastará por até 180 dias, à espera do veredicto, transformando nesse período, como promete, o Palácio da Alvorada, onde ficará confinada, no “bunker da resistência. Confinada? Nada disso: Dilma, que arruinou os cofres públicos, quer que o erário ceda avião, equipe e financie suas viagens país e mundo afora para denunciar ser vítima de um “golpe”!

Não importa o que venha a fazer depois de ceder à revelia o Palácio do Planalto para Michel Temer: seu desgoverno acabará em 11 de maio, pois ela não terá a menor chance de reavê-lo. Fale (as besteiras) que quiser, que ninguém lhe dará ouvidos - exceto, claro, a claque de sempre. Faça o que quiser, que nada dará resultado, pois a lei e a ordem - e a necessidade imperiosa de resgatar o país dos bandoleiros que o assaltaram e o fazem refém - estão contra ela, Lula e o PT.

Onze de maio... dois dias antes do 128º aniversário da Lei Áurea, dia que a história registrará como o Dia da Libertação dos Iludidos, Desempregados, Roubados e Traídos por Lula, Dilma e o PT. O Dia da Alforria da Nação Brasileira!

Faltam somente sete dias...


Acompanhe José Pedriali (josepedriali.com.br)