24°
Máx
17°
Min

Confirmado: Ricardo Barros será ministro da Saúde (É 1º de abril. Mas é verdade...)

Confirmado, neste 1º de abril de 2016: o deputado federal Ricardo Barros, do PP do Paraná, será o ministro da Saúde, ocupando a vaga de Marcelo Castro, do PMDB do Piauí. A informação é do Estadão.

A debandada do PMDB custou o cargo de Castro, assim como custará de outros de seu partido instalados na Esplanada dos Ministérios. O único garantido até agora é Hélder Barbalho, dos Portos, filho do impoluto Jader Barbalho, a quem Lula - que um dia lhe beijou a mão - determinou à sua subordinada Dilma Rousseff que seja mantido...

Em troca do apoio a Dilma, o PP, que hoje controla o Ministério da Integração Nacional, ampliará seu espaço no desgoverno federal: ficará com a Saúde e o comando da Caixa Econômica Federal. Para a presidência da Caixa irá o atual ministro da Integração, Gilberto Ochi.

Qual foi o preço exigido pelo PP para abraçar o defunto Dilma Rousseff na véspera de seu sepultamento? Informa o Estadão:

"O PP havia avisado ao Planalto que só fecharia acordo para se manter na base se ganhasse um ministério “com orçamento”, como Saúde ou Educação. Negociadores do partido dizem que só uma pasta dessas, com recursos para irrigar as bases, seria capaz de convencer a maioria da bancada a manter apoio a Dilma. A legenda também negocia com o interlocutores do vice-presidente, Michel Temer."

Ricardo Barros foi prefeito de Maringá, está no enésimo mandato de deputado federal - no atual, relatou o Orçamento deste ano -, foi secretário estadual do Paraná e é marido da vice-governadora Cida Borghetti. É engenheiro por formação. O homem certo para o comando da Saúde!

Acompanhe José Pedriali