26°
Máx
19°
Min

Crime sem impeachment. Eis o golpe dos golpes

Crime sem impeachment. Eis o golpe dos golpes

“Impeachment sem crime é golpe”. Este é o novo – e surrado - mantra do PT & Cia. Ltda. para se passar por vítima de uma conspiração da Justiça, Legislativo e “imprensa monopolizada”.

O novo slogan substitui o fraquinho “impeachment é golpe”, impossível de se sustentar já que o afastamento de ocupantes de cargos do Executivo é previsto na Constituição. E o PT e seu líder Lula foram ardorosos defensores de seu emprego no governo Collor e nos sucessores Itamar Franco e FHC.

O partido e seus sócios no maior butim da história brasileira não admitem que a presidente@ Dilma tenha cometido crime de responsabilidade ao recorrer a empréstimos de bancos públicos para financiar atividades de seu desgoverno e fazer alterações no Orçamento sem o aval do Congresso. Feriu, com esses procedimentos, a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Constituição.

Os crimes foram tão ostensivos que o TCU apontou 15 circunstâncias em que ele foi praticado por Dilma em 2014 e repetidos em 2015.

O processo de impeachment em tramitação no Congresso – e que hoje terá um dia decisivo, com a votação da comissão especial sobre o acolhimento ou não da denúncia - refere-se a esses crimes. Outros poderão ser juntados – e certamente serão – quando e se o processo for analisado pelo Senado.

O PT é um partido embusteiro. Já deu “n” demonstrações desse procedimento coletivo. Fiquemos nos mais relevantes – e repugnantes: o mensalão e o PeTrolão.

O PT negou que tenha usado dinheiro público para corromper deputados da base aliada, cravando que a condenação no mensalão foi um ato de uma “corte de exceção” e que o crime pelo qual foi condenado tratou-se de mero caixa dois utilizado para cobrir despesas de campanhas de aliados. Repete até hoje essa mentira, apesar das provas robustas de uso de dinheiro público e empréstimos fraudulentos que levaram à condenação de próceres do partido.

O PT não admite, apesar de provas e delações em abundância, que tenha organizado, gerenciado e se beneficiado do PeTrolão – o maior butim dos cofres públicos da nossa história. Seu tesoureiro João Vaccari já foi condenado em vários processos e José Dirceu, “guerreiro do povo brasileiro”, o mais ilustre petista condenado no mensalão, acaba de ser denunciado pelo MP por formação de quadrilha, corrupção, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica (esqueci alguma coisa?)

E temos ainda o ex-presidente Lula, investigado pela Lava Jato por conluio com as empreiteiras que se beneficiaram do PeTrolão...

Voltemos ao caso do impeachment. O mesmo procedimento fraudulento se repete em relação aos motivos do processo de impeachment. O PT nega mais este crime, ao qual outros irão se juntar em breve. Entre eles a obstrução da Justiça por Dilma ao nomear Lula chefe da Casa Civil. O crime foi anotado pelo procurador Rodrigo Janot em seu novo parecer sobre a posse de Lula, no qual recomenda ao STF que seja anulada.

Tantos crimes imputados à president@, responsável ainda pela maior crise econômica da história, pelo desmantelamento da Petrobras, pelo endividamento de empresas públicas como a Eletrobrás – e cujo partido chefiou o esquema criminoso do PeTrolão -, não permitem outro destino senão a abreviação de seu mandato.

Poupá-la equivale a condenar o Brasil à ruína e zombar da Justiça.

Crime sem impeachment, isto sim é golpe. O golpe dos golpes!

Acompanhe José Pedriali