22°
Máx
16°
Min

Dilma, o pesadelo e a tortura do Brasil, se diz "torturada"

Na coletiva que deu ontem, no Palácio do Planalto, para comentar sua derrota acachapante na Câmara dos Deputados, a cada vez menos presidente Dilma repetiu o surrado bordão de que foi vítima de "um golpe" e de uma "injustiça", anunciou que "lutará até o fim" e, quase choramingando, saiu-se com essa - que, certamente, lhe foi ditada por um assessor: "Estou tendo meus sonhos e direitos torturados".

Quem é que está tendo "sonhos e direitos torturados" é a nação brasileira, enganada e traída por ela, Lula e o PT, nação que vive uma crise econômica e fiscal gravíssima. E não se vislumbra saída para a crise enquanto Dilma, Lula e o PT estiverem no governo.

Dilma, que acusou na campanha pela reeleição seus adversários de pretenderem tirar "direitos" dos trabalhadores e encolher os programas sociais, restringiu os direitos trabalhistas, cortou programas sociais, promoveu uma onda ciclópica de desempregos e provocou, com suas ações desastrosas, uma inflação que corrói os salários.

Dilma nos tortura com sua presença no comando do país, presença que, ao que tudo indica, está com os dias contados. Enquanto ela permanecer onde está, mesmo que apenas exercendo poder figurativo como agora, o Brasil continuará imerso num terrível pesadelo.

Somente recuperaremos nossa capacidade de sonhar quando Dilma, Lula e o PT estiveram no local que a história lhes reserva: a lixeira.

Acompanhe José Pedriali