24°
Máx
17°
Min

Dilma oferece Ministério da Saúde a Ricardo Barros. A que ponto ela chegou...

Engenheiro civil por formação e político por profissão, o maringaense Ricardo Barros (foto) deputado federal pelo PP, poderá comandar o Ministério da Saúde caso o seu partido se mantenha fiel ao desgoverno Dilma.

Alucinação? Delirium tremens? Surto psicótico?

Tudo isso e mais um pouco, e é o que a cada vez menos president@ Dilma ofereceu para manter a fidelidade do PP, cúmplice do PT na organização criminosa que praticou o maior e mais sistematizado assalto aos cofres públicos.

A oferta coincidiu com a denúncia da Procuradoria-Geral da República de cinco deputados federais e dois ex-deputados federais do partido por envolvimento no PeTrolão. O PP é o partido que possui maior número de réus da Lava Jato.

Barros se esquivou, o presidente do PP Ciro Nogueira disse que o partido somente se decidirá em 11 de abril, véspera da votação pela comissão especial do relatório sobre o pedido de impeachment.

Seja como for, a oferta revela o despudor da president@ para se manter no cargo – e isso equivale a agravar a ruína do país -, custe o que custar. E o custo é a saúde e a vida de milhões de brasileiros, caso Barros ou outro desqualificado como ele (ele tem aptidão para outras funções, para esta não) aceite a tarefa.

Acompanhe José Pedriali