20°
Máx
14°
Min

Dilma viaja e Lula ruge. É o que restou a ambos no ocaso do poder

Lula voltou a Brasília para comandar o esforço de recolocação de Dilma Rousseff no comando do país. E Dilma, após semanas “confinada” no Palácio da Alvorada, deu início, na quinta-feira, ao périplo de viagens para denunciar “o golpe” da qual diz ser vítima. E descer o sarrafo em Michel Temer, a quem acusa de “estar destruindo as conquistas dos trabalhadores” proporcionadas pelos governo petistas.

Dilma retomou as viagens graças a uma “vaquinha virtual” de inciativa de algumas amigas. Reuniu os R$ 500 mil para pagar os jatinhos que o maldoso Temer lhe confiscou, autorizando, no entanto, que ela usasse os aviões da FAB desde que custeasse as despesas. Mas madame que é madame não engole sapo, então Dilma preferiu contratar aviões particulares.

Missão inútil o dessas viagens, como se viu na quinta-feira: o público a quem se dirigiu para afirmar que “não renuncia” é a claque de sempre, membros dos tais “movimentos sociais” alinhados e financiados pelo PT. Dilma prega para convertido. Se tivesse apoio popular, promoveria comícios multitudinários. Quando muito, reúne 200, 300 pessoas.

Dilma está só, e cada vez mais – e sabe disso. Assim como Lula, que sabe que fala para o vazio, mas precisa encenar que ainda tem chances de reverter o “golpe” – afinal, ele é a esperança do PT, esperança que o próprio Lula está convertendo em pesadelo. Pois, além de ter fracassado na missão de afastar Dilma da presidência quando ela ainda tinha poder de fato, sente o buraco se abrindo cada vez mais a seus pés. O que esse buraco permite ver é o juiz Sérgio Moro à sua espreita...

O jantar oferecido a Lula pelo senador Roberto Requião na noite de quinta-feira – naquele momento Dilma falava para algumas dezenas de “mulheres pela democracia” em São Paulo – foi um fiasco retumbante. O encontro pretendia amealhar mais votos no Senado em favor da volta de Dilma. Vinte e dois senadores se opuseram ao julgamento dela – e esses 22 foram convidados junto com outros que se fingem de indecisos. Total de convidados: 30. Total de participantes: seis! Repetindo: seis!

Seja lá qual bebida que o anfitrião tenha oferecido ao seu convidado de honra, Lula sentiu o gosto amargo do abandono.

Mas ele e Dilma têm de continuar fingindo. Dilma viajando, passando-se por coitadinha, atribuindo ao sucessor as medidas amargas que ela semeou. Lula, como o leão velho e expulso por seu bando, rugindo. Um rugido inócuo, pois não assusta sequer suas presas, que sabem que ele não terá forças para abatê-las. O rugido é o que lhe resta de vida e o prenúncio de sua morte.

Acompanhe www.josepedriali.com.br