22°
Máx
14°
Min

E é sepultada mais uma esperança do PT: jornalista nega ter recebido dinheiro ilegal de FHC

É, os petistas e seu corolário mais repugnante, os petralhas, estão mesmo sem sorte: a esperança de envolver FHC em algum malfeito, revitalizada com o surgimento intempestivo da jornalista Miriam Dutra, que foi amante durante uma década do ex-presidente, caiu por terra.

Em entrevista a um jornal europeu, repercutida e ampliada e detalhada pela imprensa brasileira, Miriam – que foi repórter da Globo na Europa – afirmou que o ex-presidente lhe enviou regularmente mesada por meio de uma empresa brasileira, a Brasif. E que esse dinheiro foi “legalizado” por meio de um contrato fraudulento que ela fez com a empresa.

Lavagem de dinheiro! Lavagem de dinheiro! – festejaram os petralhas, que inundaram as redes sociais com essa e outras informações, entre elas a posse (jamais comprovada) de um apartamento de FHC em Paris. Posse que ele nega.

FHC negou ter usado a empresa, que também negou ter sido usada por ele. O ex-presidente, que ganhou uma grana boa – e honesta – como escritor e palestrante (ele é PHD, fala vários idiomas e não usou essas palestras paras ocultar, como certa “viva alma mais honesta deste país”, tráfico de influência), admitiu ter contas bancárias no exterior. Isso não é ilegal, desde que declarado. E FHC declarou várias contas.

As remessas de dinheiro eram destinadas a Tomás, filho de Miriam, que ela atribuía a FHC. Dois exames de DNA, consentidos pelo rapaz, negaram a paternidade do ex-presidente, que, no entanto – e mesmo sabendo disso – o registrou como seu filho. E continua lhe enviando dinheiro. E o tratando como tal.

A oportunidade da denúncia levou o então ministro da Justiça, o petista Eduardo Cardozo, a ordenar à PF que a investigasse. Ordem dada, ordem cumprida. Miriam foi ouvida pelos federais e... disse não se lembrar se assinara ou não contato com a Brasif e que a ajuda de FHC era feita por meio de depósito bancário. Ela confirmou essa informação a uma emissora de televisão.

Fim de papo. Não foi desta vez - mais uma - que petistas e petralhas conseguiram jogar o adversário no mar de lama em que se meteram, por livre e espontânea vontade.

Amém.

(*) Outra diferença entre FHC e Lula: o primeiro reconhece como seu algo que não é, o segundo desmente possuir aquilo que está na cara que é seu!

Acompanhe José Pedriali