23°
Máx
12°
Min

Ela vem, eles vão. O Brasil sobreviveu a Cunha e Lewandowski

A sóbria, legalista e durona Carmen Lúcia assume hoje a presidência do STF em substituição a Ricardo Lewandowski, que fez história como o advogado que mais atuou em defesa do PT e seus crimes e criminosos – do mensalão ao epílogo do julgamento de Dilma Rousseff.

O Brasil sobreviveu a ele! Sobreviveu também a Eduardo Cunha, cuja cassação poderá ser decidida hoje pela Câmara dos Deputados, se alguma manobra regimental não impedir o desfecho desse caso, mais duradouro que uma novela da Globo. Afastado da presidência da Câmara por decisão do STF e respondendo a processo por quebra de decoro parlamentar,

Cunha protagonizou um triste capítulo da história do Parlamento, pois ficou patente a audácia com que se meteu em casos de corrupção e com que afrontou os investigadores. Teve o mérito de admitir o pedido de abertura do processo de impeachment que resultou na cassação de Dilma – mas isso era obrigação dele!

Treze dias depois do afastamento definitivo de Dilma Rousseff, o Brasil merece se ver livre de Cunha - para sempre - e - também para sempre - de Lewandowski, cuja aposentadoria se aproxima.

Acompanhe www.josepedriali.com.br