23°
Máx
12°
Min

Eleições em Londrina: a sorte (ou o azar) está lançada

As convenções encerradas sexta-feira oficializaram oito candidatos à Prefeitura de Londrina e revelaram duas (pero no mucho) surpresas: o apoio do prefeito Alexandre Kireeff ao tucano Valter Orsi e a candidatura de Sandra Graça pelo PRB. Kireeff, que rejeitou tentar a reeleição, apostava num candidato de seu partido, o PSD, mas não conseguiu viabilizá-la. E Sandra havia jogado a toalha e a retomou na última hora. O apoio do PMDB, adversário histórico do belinatismo, a Marcelo Belinati (PP) provocou a baixa mais estrepitosa do processo: a vereadora Elza Corrêa, que tentava sair como vice de André Trindade, do PPS, não disputará novo mandato.

A Câmara de Londrina perderá, portanto, duas mulheres – Sandra e Elza – e a terceira, Lenir de Assis, corre sério risco de não se reeleger. O PT, que terá o inexpressivo Odarlone Orente concorrendo à Prefeitura, está ameaçado de obter a votação mais medíocre de sua história na cidade. O estacionamento do candidato abaixo de um ponto nas pesquisas, apesar de seu nome ter sido lançado há meses, é o presságio do desastre anunciado. A Lava Jato e o desempenho escalafobético de Dilma Rousseff na Presidência da República corroeram o que restava de apoio ao partido, que elegeu dois prefeitos – Luiz Eduardo Cheida (que migrou para o PMDB) e Nedson Micheleti (dois mandatos).

A candidatura de Sandra tende a tirar votos de Marcelo, líder absoluto na pesquisa, já que ela ascendeu na política apoiada em Antonio Belinati, tio do seu adversário, três vezes prefeito e cassado na última. Na fase inicial da campanha, ela disputará a terceira colocação com o professor Luciano Odebrecht (PMN), e as chances de ambos escalarem posições esbarram numa pedra fincada meio do caminho de sobrenome Orsi.

A eventual migração de votos de Marcelo para Sandra forçará a decisão da disputa no segundo turno, fortalecendo, assim, as chances de Orsi, apontado na última pesquisa do Instituto Multimídia como o principal adversário do pepista e com viés de alta (Marcelo perdeu pontos preciosos em relação ao levantamento anterior). O apoio de Kireeff a Orsi tende a robustecer ainda mais sua candidatura. A mesma pesquisa apontou que um quarto dos entrevistados disse que votaria no candidato apoiado pelo prefeito e metade naquele que representasse a continuidade de sua administração.

Os demais candidatos são Flávia Romagnolli (Rede) e Paulo Silva (PSOL).

A sorte (ou o azar) está lançada. A campanha, que começará dentro de alguns dias, revelará o destino que nos aguarda.