22°
Máx
16°
Min

Golpe de estado em Cannes: filme brasileiro é deposto!

A conspiração dos conservadores contra os “progressistas” brasileiros extrapolou nossas fronteiras e abateu mais um sonho dos petistas e afins, que usaram o tapete vermelho do Festival de Cannes para protestar contra o “coup d’etat en Brasil”: o filme “I, Daniel Blake”, do britânico Ken Loach, depôs o brasileiro “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho.

“Aquarius”, financiado parcialmente com recursos públicos, não recebeu nenhum prêmio. Nenhum! Nem de diretor, nem de roteiro, nem ator principal e tampouco coadjuvante. Nada! Nada! Mais uma vez: nada!

E para comprovar a má fase dos “progressistas” – tão “progressistas que têm Cuba e Coréia do Norte como modelos de democracia -, Cannes deu menção especial do júri para o curta “A moça que dançou com o diabo”, do brasileiro João Paulo Miranda Maria. O filme não teve verba oficial. Custou R$ 500, obtidos por meio de uma rifa.

A premiação seria uma ironia em relação à nossa president@ deposta, que dançou com o diabo para se reeleger e acabou no quinto dos infernos?

Assim não dá: a conspiração é universal!

Acompanhe José Pedriali