21°
Máx
17°
Min

Londrina fecundou a jararaca. E produziu o porrete que a atingiu na cabeça

Londrina foi o embrião do mensalão e do PeTrolão, por meio do falecido deputado José Janene, que levou seu know-how corruptivo para a esfera federal.

A “República do Paraná”, formada por petistas que acumularam uma montanha de poder – e de denúncias –, também teve Londrina como epicentro. Faziam parte dela Gilberto Carvalho, Paulo Bernardo e sua companheira Gleisi Hoffmann e André Vargas, o presidiário. O casal é investigado pela Lava Jato e pela Justiça Federal de São Paulo. Carvalho é investigado pela Operação Zelotes, suspeito de intermediar a venda de medidas provisórias.

Londrina foi o estopim que detonou a Lava Jato. O empresário Hermes Magnus, que teve o infortúnio de se associar a Janene numa empresa local, o denunciou por lavagem de dinheiro. A investigação levou ao que sabemos.

E foi um jornalista que por muito tempo atuou em Londrina, Germano de Oliveira – onde foi repórter da Folha de Londrina e correspondente do Estadão -, que revelou o caso do tríplex do Guarujá. Era chefe da sucursal da Globo em São Paulo quando da denúncia. Germano foi processado por Lula, ganhou, Lula está recorrendo – e pelo jeito, será derrotado novamente.

A denúncia resultou no primeiro pedido de prisão contra o ex-presidente, formulada hoje pelo Ministério Público de São Paulo (primeiro porque acho que será uma série...)

Mensalão, Petrolão... Londrina fecundou a jararaca. E o porrete que atingiu sua cabeça!

Acompanhe José Pedriali