24°
Máx
17°
Min

O maior erro de Lula: Dilma. O maior erro do Brasil: Lula

"Lula reconheceu que seu maior erro foi escolher Dilma", disse José Sarney ao ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que o gravou. E depois corrigiu: "Seu único erro".

Com ou sem a emenda, o diagnóstico de Lula é perfeito em termos políticos, pois a decisão que maquiar Dilma como a "gerentona" capaz de levar adiante seu projeto de poder deu com os burros na água.

O fracasso é mais um caso em que a propaganda que Lula e o PT fizeram de suas intenções se realização acaba estrepitosamente desmentida pela realidade.

Dilma é um fracasso retumbante, que, infelizmente, soterrou não apenas o plano de Lula de perpetuar-se no poder, direta ou indiretamente, mas todo o esforço de reconstrução nacional empreendido desde o governo Itamar Franco, com o lançamento do Plano Real. E a esperança e o destino de milhões de brasileiros.

Se, para Lula, Dilma foi seu "único" ou 'maior erro", para o Brasil o maior erro - e não o único - foi acreditar em Lula. Pois ele é a personificação da mais grotesca, abrangente e despudorada fraude desde que Cabral molhou as botas nas águas tépidas do litoral baiano.

Lula entregou ao Brasil uma mulher altamente incapacitada como administradora, entre outros defeitos, mas esse foi apenas a ponta do iceberg de sua obra perversa. Lula prometeu uma revolução ética, uma mudança radical - e para melhor - na forma de governar, isso e mais aquilo, e se revelou o chefe da mais despudorada, intrincada e perversa organização criminosa, especializada em saquear os cofres públicos.

Combinando-se o desastre administrativo de Dilma com a perversidade de ações de Lula e sua caterva, resultou uma das mais graves crises econômicas, políticas e morais da nossa história.

Lula admitiu o erro. O Brasil acordou para o engodo. Compete agora à Justiça punir exemplarmente os criminosos e ao país fortalecer-se para impedir que salteadores travestidos de vestais voltem ao poder.

Acompanhe José Pedriali