22°
Máx
17°
Min

O petismo não tem cura: Dilma, a Bolívia e o golpe à verdade

O petismo é uma doença incurável, diagnostiquei alguns dias atrás. Uma de suas manifestações é o desprezo à verdade e o atropelo da história, como confirma Dilma em mais uma de suas manifestações tresloucadas. Vejamos:

 Em mais um comício contra o “golpe”, a presidente afastada Dilma Rousseff levou a petezada & afins ao delírio ao afirmar, na Universidade de Brasília, segunda-feira à noite, que “eles (o governo de Michel Temer) falam grosso com a Bolívia e fino com os Estados Unidos".

A afirmação é um autêntico golpe à verdade, já que seu tutor e antecessor Lula entregou refinarias e postos de distribuição ao governo boliviano sem a menor resistência. E sem pedir indenização – o que caracteriza crime de lesa-pátria.

Nunca ocorreu expropriação de propriedades brasileiras pelo governo dos Estados Unidos. Neste ou em governo anteriores.

O tom “grosso” adotado por Temer, por intermédio do Itamaraty, foi dirigido à Bolívia, Venezuela, Cuba e Equador, os mortos-vivos do bolivarianismo, que interpretam o processo de impeachment de Dilma como um “golpe à democracia”. Eles, logo eles, que atropelam as liberdades individuais e tudo o que compõe uma democracia autêntica!

A história registra – e não adianta acusá-la de alinhada aos “golpistas” – que o governo petista falou fino e ficou de quatro e – não de joelhos – para Evo Morales, um tiranete alinhado à ideologia totalitária do PT.

Acompanhe José Pedriali