24°
Máx
17°
Min

Os 70 condenados do PT no Paraná

O PT do Paraná espera lançar candidatos a prefeito em 70 municípios e prevê eleger mais da metade deles. Ou seja, obter o mesmo número de prefeitos como na eleição passada. E espera fazer o mesmo nas Câmaras de Vereadores, lançando candidatos em 322 dos 399 municípios do estado.

Alucinação!

O partido está tão mal afamado que corre o risco de perder a eleição se lançar Jesus Cristo, os 12 apóstolos, o papa Francisco e a Cúria Romana candidatos...

Em 2008, quando Lula disputou a reeleição, o PT lançou 117 candidatos a prefeito; na eleição seguinte, 115 e nesta, espera lançar 70 – o próprio partido, portanto, reconhece a decadência. E esses 70 municípios são de pouca expressividade, pois, se já governou Londrina, Maringá e Ponta Grossa e esteve quase lá em Curitiba, agora só resta ao PT depositar a esperança na periferia...

Mas como sonhar ainda é um dom que o PT não conseguiu arruinar, que sonhem, embora esse sonho tenha tudo para se transformar em pesadelo para seus membros.

O PT pode ter mantido o número de filiados, como apregoa – diz até que arrebanhou mais jovens após a eclosão do PeTrolão (duvido de tudo o que dizem, pois os fatos teimam em desmenti-los, mas deixa pra lá). Mas perdeu uma infinidade de quadros decisivos, que são prefeitos e vereadores. Só no Paraná, 19 dos 40 prefeitos e 156 dos 347 vereadores que elegeu em 2012 saltaram do barco avariado.

Ora, se isso aconteceu no auge do PeTrolão e com o partido na presidência, o que esperar agora, com o PR escorraçado do poder, Dilma denunciada ao STF por obstrução da Justiça e citada cada vez mais por empreiteiros como beneficiária do dinheiro sujo desviado da Petrobras e seu guru Lula na iminência de ser preso?

Não há partido que sobreviva sem a perspectiva de poder, razão de ser de sua existência. O PT chegou lá, se lambuzou – como disse o ex-ministro Jaques Wagner –, arrasou o país e, com isso, comprometeu seu presente e sepultou seu futuro.

O PT lançará, portanto, não 70 candidatos, mas 70 condenados ao fracasso.

Acompanhe José Pedriali