22°
Máx
17°
Min

Os Rimonattos petistas têm de ser contidos. Antes cedo do que tarde

Petistas mentem e ameaçam o ministro Gilmar Mendes desde que ele denunciou a abordagem de Lula para retardar o início do julgamento do mensalão.

Petistas agrediram a honra e ameaçaram de morte o então presidente do STF Joaquim Barbosa durante e depois do julgamento do mensalão.

Petistas mentem e ameaçam de morte o juiz Sergio Moro, encarregado dos processos da Operação Lava Jato, que escancarou – e sabe-se lá o que ainda está por vir – o maior esquema de corrupção da histórica e capitaneado pelo PT.

Petistas agrediram manifestantes em frente à sede da Associação Brasileira de Imprensa no ano passado quando Lula, num ato de puro farisaísmo, comandava um ato “em defesa da Petrobras” espoliada pelo partido que ele comanda.

Às vésperas do afastamento de Dilma Rousseff na presidência por crime de responsabilidade, um petista atacou com chave de roda um casal de manifestantes acampados diante da Justiça Federal em Curitiba, local de trabalho do juiz Moro. O ataque foi acompanhado de gritos de “golpistas, fascistas”, que, por isso, “devem morrer”.

A agressão aconteceu na manhã de terça-feira. O nome do casal não foi revelado. A PM foi chamada ao local e conteve o agressor.

O agressor é Edson Rimonatto, fotógrafo e guitarrista e militante histórico do PT. Era, até então, assessor do deputado federal Toninho Wandscheer, que trocou recentemente o PT pelo Pros. Toninho o demitiu no dia seguinte sob a alegação de que “condeno e repudio ato de violência de qualquer natureza”.

A tensão está no ar e cresce quanto mais se aproxima o dia, tão temido pelos petistas, de Dilma descer, como promete, a rampa do Palácio do Planalto e seguir escoltada pelos magotes de apoiadores que lhe restam (magotes financiados com dinheiro público) até seu exílio temporário no Palácio da Alvorada. A etapa seguinte de sua desastrada e desastrosa trajetória política será a cassação do mandato, que se consolida a cada dia. E, então, o PT será enxotado para o inferno, que é a perda do poder.

O PT promete que futuro presidente Michel Temer “não terá paz”. Enquanto a ameaça se limitar à esfera política, vá lá: o PT já demonstrou à exaustão que seus interesses estão acima dos nacionais e, portanto, o país que se dane! Mas se o partido puser em prática o que predisseram vários de seus líderes – “lutar de armas nas mãos” –, teremos, então, uma convulsão social que poderá desaguar numa guerra civil.

Os Rimonattos petistas têm de ser contidos. Antes cedo do que tarde.

Acompanhe José Pedriali