21°
Máx
17°
Min

PT intensifica uma de suas especialidades: a sabotagem

Aproximando-se o momento de a catastrófica e cada vez menos presidente@ Dilma ser afastada para responder a julgamento no Senado por crime de responsabilidade, o PT intensifica uma das quatro coisas que melhor sabe fazer: a sabotagem.

Sabotagem traçada para ser desencadeada após a posse de Michel Temer no comando do país – fato que as estrelas há muito anunciam e que, apesar de todas as manobras à luz do sol e às sombras feitas pelo PT e seu mentor Lula, é tão certo quanto um dia após o outro. A iminência do despejo de Dilma do Planalto, o que privará o PT de sua razão de ser – o poder -, induziu-o a não esperar o amanhã para dar início à operação de terra arrasada.

A mando de Lula, as tais “organizações sociais” – todas, indistintamente, financiadas pelo PT, direta ou indiretamente -, radicalizam os protestos, paralisando cidades e bloqueado rodovias. Impedem o direito de ir e vir em nome da “democracia’, cujo único inimigo, no momento, é o próprio PT, que se recusa a aceitar as regras do jogo. E o jogo estabelece que, em primeiro lugar, a Constituição e as leis devam ser acatadas pelo presidente da República, que, uma vez desrespeitando esse princípio elementar, deve ser punido, e punido com a perda do mandato.

Sob a coordenação do ministro Ricardo Berzoini e do presidente do partido, Rui Falcão, petistas encastelados no governo decidiram sabotar a transição para o governo Temer, negando-lhe informações de Estado (e se ficar só nisso, que Temer agradeça aos céus...). E a desastrosa e cada vez menos presiden@ Dilma se prepara, nos estertores de seu melancólico e trágico governo, para anunciar um “pacote de bondades” com dinheiro que o governo não possui.

Se, de fato, anunciar o reajuste do Bolsa Família – uma das medidas em gestação -, estará, mais uma vez, pisoteando a Constituição e a Lei de Responsabilidade Fiscal, pois não há previsão orçamentária para isso. Depois de reajustar o benefício acima da inflação em 2014 – mais um de seus artifícios grotescos, e criminosos, para se reeleger -, Dilma o congelou no ano passado, quando a tragédia econômica anunciada, e renegada despudoradamente durante a campanha eleitoral, se revelou com a toda a intensidade.

O pretendido reajuste do Bolsa Família é mais uma das iniciativas de sabotagem, pois ela consta da carta de intenções de Temer. Que, no entanto, o condiciona a uma filtragem rigorosa dos beneficiários e à revisão da meta fiscal. De acordo com a lei, portanto, lei que Dilma pisoteia sem escrúpulos e é aplaudida pelos petistas, que continuam a bradar que ela é a imaculada das vivas almas deste país.

A sabotagem está na índole do PT, que boicotou todas as iniciativas pós-regime militar para reerguer o país: da eleição indireta de Tancredo Neves ao Plano Real e à Lei de Responsabilidade Fiscal, passando pela Constituição e governo Itamar Franco. Os petistas se insurgiram contra tudo e todos e, uma vez no poder, demoliram um a um os alicerces fincados a duras penas para sustentar o crescimento econômico. O único ato que poderia honrar essa trajetória, que foi a liderança do partido no processo que culminou com o impeachment de Fernando Collor, foi manchado pela cooptação desse personagem para a base aliada do governo e para o colossal esquema de corrupção montado pelo partido, que é o PeTrolão.

E esse ato é hoje renegado solenemente pelo partido, na tentativa canhestra de caracterizar como “golpe de estado” o processo de impeachment de Dilma.

Para repetir a ladainha do golpe, petistas violaram o regimento do Senado, dando a palavra, no momento em que Paulo Paim dirigia a sessão ordinária de ontem, ao argentino Adolfo Pérez Esquivel. O nobel da Paz foi levado à Mesa Diretora, onde lhe concederam o microfone. O desrespeito enfureceu a oposição, mas o discurso de Esquivel frustrou o PT: o máximo que ele conseguiu foi apontar "um possível golpe de estado" na condução do processo de impeachment.

O que o PT poderá fazer até o fatídico 11 de maio, quando o Senado abrirá o julgamento de Dilma, obrigando-a sair de mala e cuia do Planalto e se confinar como alma penada no Alvorada?

Espera-se tudo, menos qualquer ato de grandeza, qualidade que o partido, assim como seu líder e mentor Lula, jamais demonstraram.

---

Ah, sim: e quais são as outras três coisas que o PT melhor sabe fazer? Mentir, ameaçar e roubar!


Acompanhe José Pedriali (josepedriali.com.br
)