23°
Máx
12°
Min

Temer fecha a fonte de financiamento dos canalhas da PesTapo

Secou a fonte, cambada da PesTapo – Patrulha Especial de Truculência Aos que Protestam contra a OniPotência. Em outras palavras, a subdivisão que operava na internet da organização criminosa disfarçada de partido político, o PT

.

A fartura de recursos proporcionada pelos governos Lula e Dilma fez dessa gangue – pois encontrou reciprocidade em seus caráteres - os mais servis e abomináveis agentes de comunicação da história recente do país. Para esse lixo da comunicação, não importava a verdade – importava apenas e exclusivamente defender seus patronos, defesa que incluía o aniquilamento de reputações dos opositores da organização criminosa instalada no Palácio do Planalto.

O governo Temer fechou a torneira. É o fim, canalhas! Recorram agora a seus companheiros petistas instalados em centrais sindicais que, durante os 13 anos e quatro meses que o PT esteve no poder, agiram como instrumentos para a ampliação do poder dos bandidos do Planalto e intimidação de seus adversários. Mas sejam rápidos, pois o tempo e as circunstâncias conspiram contra vocês.

Trechos da reportagem da Folha de S.Paulo sobre o tema:

"De janeiro a dezembro de 2015, o conjunto desses sites e blogs havia recebido das mesmas fontes R$ 5,1 milhões. Entre janeiro e junho de 2016, o valor foi de R$ 1,54 milhão. Após esse período, nada foi liberado.

Na lista estão o Blog do Luís Nassif (R$ 746 mil), o Brasil 247 (R$ 732 mil), o Diário do Centro do Mundo (R$ 194 mil) e o Conversa Afiada (R$ 333 mil), do jornalista Paulo Henrique Amorim.

Os valores totais podem ser maiores, pois a Petrobras e a Caixa não forneceram os números divididos por recebedor, apenas o total.

O Banco do Brasil, por exemplo, pagou R$ 500 mil ao Blog do Nassif em 2015 e R$ 113 mil de janeiro a maio deste ano. Para o Brasil 247, foram R$ 491 mil no ano passado e mais R$ 120 mil nos cinco primeiros meses de 2016. O Conversa Afiada recebeu R$ 199 mil em 2015 e R$ 44 mil neste ano.

Desde maio, o BB não fez mais pagamentos."

Acompanhe www.josepedriali.com.br