23°
Máx
12°
Min

Temer sepulta a “presidenta”. Aleluia!

Dilma Rousseff deixou o Palácio do Planalto para se transformar em porta-voz esganiçada do Além Túmulo, que é onde o PT se meteu por conta e risco por promover a maior fraude política, o maior calote eleitoral e o maior saque aos cofres públicos da história.

Aleluia!

Dilma deixou o Planalto, e com ela desceu a rampa, embora tardiamente, uma das expressões mais esdrúxulas do vernáculo: o termo “presidenta”, cujo uso ela tornou obrigatório em solenidades e documentos oficiais e pelos órgãos de comunicação estatais.

“Presidenta” já não é mais usado pela EBC, reformulada pelo interino Michel Temer, que controla todos os canais do governo – agência de notícias, rádio e tevê. Volta a ser utilizado o politicamente correto e harmonioso “presidente”.

Aleluia!

“Presidenta”, “presidenta”

Fica quieta, vê se senta

A excelência virou nada

No Palácio da Alvorada

A infeliz companheirada

Agitada, triste, eriçada

Sem poder não se aguenta

Sem grana não se sustenta

O Lula a todos vós tenta

Esgrime, afia a ferramenta

Promete logo a retomada

Bobagem: tudo patuscada

Para sempre é a derrocada

Uma fase vil enterrada

É o fim da “presidenta”

A quem o Brasil não aguenta

(Mas ela ainda o atormenta...)

Acompanhe José Pedriali