22°
Máx
17°
Min

Uma semana reveladora: o PT queria impor uma ditadura

No primeiro e segundo dias úteis após ser apeado do poder, que foram a segunda e terça-feira passadas, a cúpula do PT divulgou documento em que demonstra, mais uma vez, não ter aprendido nada com a rejeição crescente da opinião pública ao partido, com os desastres que promoveu nas áreas política e econômica e com a política de se locupletaram com dinheiro público para financiar as atividades partidárias e enriquecer alguns companheiros – afinal, ninguém é de ferro, nem mesmo um militante ‘ético” como se julgam os petistas.

Além de repisar a mentira de que o afastamento temporário de Dilma é consequência de um “golpe” engendrado pelas “forças conservadoras” – incluindo-se nessa trama a Operação Lava Jato –, o partido se apresenta, mais uma vez também, e mais uma vez mentirosamente, como vítima do sistema de financiamento de campanha. Sistema que, segundo o partido, “contaminou” seus membros.

Ora, não foi o “sistema” que contaminou o PT, mas o PT que se apossou e aperfeiçoou as regras do “sistema” ao implantar o mais audacioso esquema de corrupção pública da história do país, o PeTrolão e seus derivados. O PT usou toda a estrutura do estado, partilhando-a com seus cúmplices da iniciativa privada e dos partidos aliados, para financiar seu projeto de poder. E – repetindo – para enriquecer alguns de seus líderes, entre eles o maioral, o ex-presidente Lula, na iminência de ser preso.

Negar a verdade e sua responsabilidade na mais audaciosa organização criminosa de que se tem notícia não é novidade alguma. O documento do PT, no entanto, faz uma revelação, que só poderia mesmo ter sido feita após ter deixado o poder à revelia: o partido que aparelhou o estado em dimensões sem paralelo na história queria mais, muito mais: queria o controle das Forças Armadas, do Ministério Público, da Justiça e da imprensa para, a exemplo dos companheiros venezuelanos, sufocar toda investigação de seus eventuais crimes com promotores sabujos, a oposição com as leis feitas sob medida e aplicada por juízes camaradas e descer o cacete em quem ousasse insurgir contra o estado totalitário. E impedir que todos esses absurdos fossem denunciados pela imprensa...

Sim, um estado totalitário era o que o PT pretendia impor ao país, e sua não concretização foi a principal falha apontada pelo partido para sua disposição.

Ao fazer essa revelação somente depois de ter sido despejado, o PT comprova ter sido o lobo que ocupou o poder com a pele do cordeiro... e que, apesar de desmascarando, continua balindo sua inocência!

Acompanhe José Pedriali