28°
Máx
17°
Min

Após declaração sobre operação Lava Jato, ministro da Justiça balança

A prisão do ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda, Antônio Palocci, durante a 35º fase da operação Lava Jato, deflagrada nesta segunda-feira (26), ficou em segundo plano. 

O que mais se comentou nos bastidores nesta segunda foi a desastrada declaração dada no domingo pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes,  em que dizia que nesta semana haveria mais uma fase da operação Lava Jato. 

Moraes foi chamado pelo presidente Michel Temer (PMDB) no Palácio do Planalto. Fontes ouvidas pelo blog informam que não está descartada a saída de Moraes do ministério da Justiça. 

Apesar da hierarquia, a PF é subordinada ao ministério, o fato do ministro ter informações privilegiadas sobre deflagração de operação, principalmente da Lava Jato, criou um mal estar no Palácio. A oposição, destacadamente o PT, fez duras críticas ao governo Temer e sugeriu uma possível ingerência de Alexandre Moraes na Lava Jato. 

A estratégia do staff de Temer é justamente não deixar qualquer digital, ingerência, no trabalho da PF no âmbito da Lava Jato. E a declaração do ministro da Justiça direcionou os holofotes justamente para esta suspeita.