24°
Máx
17°
Min

Após gravações, Temer perde o segundo ministro

Conforme este blog antecipou às 14h23, o ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, pediu demissão do governo Michel Temer em carta encaminhada ao presidente interino no início da noite desta segunda-feira (30). No meio da tarde, Temer ainda declarou que tinha confiança no ministro e chegou a minimizar a conversa gravada que foi exibida pelo programa Fantástico na noite de domingo (29). 

Apesar do voto de confiança, a pressão sobre Silveira pesou. Os funcionários do próprio ministério fizeram protesto pedindo a saída de Silveira. 

O agora ex-ministro aparece em conversas gravadas pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que fechou acordo de colaboração -- delação premiada -- com os procuradores do Ministério Público Federal (MPF).    

De acordo com a reportagem, Silveira participa de uma reunião na casa do presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB). Na conversa, houve troca de reclamações sobre a Justiça e a operação Lava Jato. Na gravação, o atual ministro da Transparência, Fiscalização e Controle faz críticas à condução da Lava Jato pela Procuradoria e dá conselhos a investigados na operação.

Este é o segundo ministro que Temer perde em menos de um mês de gestão. Na semana passada, Romero Jucá pediu demissão depois que foi flagrado em conversar gravadas por Machado em que tenta barrar a operação Lava Jato. Os dois ministros tiveram o mesmo destino: primeiro vieram à tona as gravações, depois reuniões com Temer e no fim do dia a carta de demissão. 

Nos corredores do Congresso Nacional, parlamentares dizem que outros ministros podem ter o mesmo destino de Jucá e Silveira -- assim como o próprio Renan Calheiros. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.