24°
Máx
17°
Min

Delação de Mônica Moura pode selar o destino da presidente afastada Dilma Rousseff

Antes de pensar em reverter o pedido de afastamento pelo impeachment no Senado Federal, a presidente afastada Dilma Rousseff (PT) tem outra preocupação, uma prioridade mais imediata: a delação premiada da publicitária Mônica Moura, esposa do mulher do marqueteiro João Santana -- responsável por campanhas eleitorais do PT. 

Uma fonte da Polícia Federal (PF) conta que Mônica pode complicar bastante a situação da presidente petista. O acordo de delação premiada da publicitária ora avança, ora recua. Mas a tendência, diz a fonte, é que Mônica feche o acordo com os procuradores do Ministério Público Federal (MPF) que estão à frente da Lava Jato. 

Comenta-se até que a publicitária teria dados sobre uma conta bancária no exterior e que, de alguma forma, poderia vincular à presidente. Além disso, Mônica sabe todos os detalhes financeiros da última campanha de Dilma e estaria disposta a falar tudo que sabe em troca de uma redução da pena. 

Uma pessoa que teria conversado informalmente com Mônica Moura disse ao Blog que se a publicitária fechar o acordo de delação premiada e contar tudo que sabe, Dilma será seriamente implicada no esquema de corrupção descoberto pela PF na Lava Jato.   

Mônica Moura está presa desde fevereiro deste ano na Penitenciária Feminina de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba.