23°
Máx
12°
Min

Eduardo Cunha renuncia à presidência da Câmara para tentar salvar mandato

O deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) renunciou ao cargo de presidente da Câmara Federal. O anúncio foi feito durante uma coletiva de imprensa no início da tarde desta quinta-feira (7). A iniciativa faz parte da estratégia do peemedebista de tentar salvar o mandato parlamentar. 

Cunha fez críticas ao Procurador-Geral da República (PGR), Rodrigo Janot. O deputado disse que é perseguido por Janot e que os inquéritos contra ele tramitam mais rápido do que os demais investigados também com foro privilegiado. Cunha disse confiar na Justiça e reafirmou que nunca recebeu propina. 

O parlamentar terminou o pronunciamento agradecendo a Deus por ter presidido a Câmara Federal e, emocionado e com voz embargada, agradeceu ainda o apoio do PMDB, à família e que deixa a presidência com a consciência tranquila. 

Cunha afirmou que, quando presidente, contribuiu para melhorar o país e afastar "o governo criminoso do PT, com uma gestão desastrosa que deixou como legado 13 milhões de desempregados", citando a abertura do processo de impeachment.  

Apesar da renúncia, o processo no Conselho de Ética prossegue na casa. Mas, a partir de agora, Eduardo Cunha vai concentrar as forças para alinhar uma costura que possa salvar o mandato de deputado federal.