22°
Máx
17°
Min

Fruet não explica certidão positiva do TC e cita ação contra Greca

Foto: Tribuna do Paraná - Fruet não explica certidão positiva do TC e cita ação contra Greca
Foto: Tribuna do Paraná

O debate entre os candidatos Gustavo Fruet (PDT), que busca a reeleição, e Rafael Greca (PMN), trouxe como novidade desta campanha o poder bélico de ambos. Tanto Fruet quanto Greca não se furtaram em partir para o ataque -- sem qualquer pudor. 

Talvez esta faceta dos dois tenha aflorado com o modelo de debate apresentado pelo jornal Gazeta do Povo em que os candidatos tiveram 45 minutos sem qualquer tipo de mediação no primeiro bloco.  

O primeiro golpe partiu de Greca depois que o adversário se queixou da falta de recursos repassados pelos governos federal e estadual. Greca afirmou que um dos motivos poderia ser a certidão positiva da Cohab (Companhia de Habitação de Curitiba) junto ao Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) -- o que impediria, de acordo com a legislação, o recebimento de recursos e capacidade de contrair empréstimos desde 2013. A resposta do atual prefeito não veio. Fruet não falou nada sobre a certidão -- que durante o debate foi divulgado no site de Greca. 

Minutos depois veio o contragolpe de Fruet que citou uma ação de improbidade contra o adversário que tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ) em relação a a obra do Hospital do Bairro Novo sem o devido processo licitatório. Greca negou qualquer irregularidade. Depois Fruet afirmou que quando ministro do Esporte e Turismo o principal projeto de Greca foi a Nau Capitânia, que naufragou e que por isso acabou sendo mandado embora. A Nau foi construída em comemoração aos 500 anos de descobrimento do Brasil.

Greca retrucou dizendo que a Nau não naufragou e que pode ser visitada no Rio de Janeiro. "Não fui mandado embora e a Nau Capitânia não naufragou. Saí do ministério porque bati de frente com a quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Esta gente que estava no Mensalão, no Petrolão e agora está na penitenciária de Pinhais, onde está o (Marcelo) Odebrecht que fez doação para a sua campanha", retrucou.