21°
Máx
17°
Min

Gleisi pede adiamento do julgamento no STF

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que adie a sessão da próxima terça-feira (20) em que iria ser julgada a denúncia contra ela e o marido Paulo Bernado (PT). 

No requerimento feito ao ministro Teori Zavascki, relator dos processos da operação Lava Jato, Gleisi argumenta que o seu procurador “não poderá realizar sustentação oral no caso em epígrafe, em razão de compromissos profissionais anteriormente assumidos no exterior”.

A senadora juntou comprovantes de passagem aérea emitidas em nome do advogado dela para tentar sensibilizar o ministro do STF para adiar o julgamento. 

Na decisão, Teori afirma que o julgamento, que estava marcado para acontecer depois do recesso do mês de julho, foi adiado. O ministro deu um prazo de 24 horas para que a defesa da senadora Gleisi comprove o "alegado compromisso profissional no exterior, com juntada de comprovante também da data em que assumiu o compromisso e da data de aquisição das passagens aéreas. 

"Assim, novo adiamento somente se justifica por razões relevantes como e se o compromisso alegado tiver sido assumido em data anterior e for mais importante que o comparecimento ao STF", diz um outro trecho da decisão do ministro Teori.

 A senadora Gleisi é acusada pelo Ministério Público Federal (MPF) de receber R$ 1 milhão do esquema de propinas instalado na Petrobras para sua campanha em 2010. Além dela, também são acusados de corrupção e lavagem de dinheiro o ex-ministro Paulo Bernardo  e o empresário Ernesto Kugler Rodrigues.