22°
Máx
17°
Min

Há um ano preso, Zé Dirceu é o elo entre PT e empresários na cadeia

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil  - Há um ano preso, Zé Dirceu é o elo entre PT e empresários na cadeia
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

No dia 3 de agosto de 2015, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT) recebia a visita de agentes da Polícia Federal em casa em Brasília. Os federais cumpriam o mandado de prisão contra o petista na 17º fase da Operação Lava Jato -- batizada como Pixuleco (nome que era dado para propina). 

Pesava sobre ele a suspeita de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Logo em seguida o ex-ministro foi transferido para a carceragem do Complexo Médico Penal (CMP), em Pinhais, região metropolitana de Curitiba -- onde permanece deste então.  

Um ano se passou e José Dirceu continua exercendo poderes dentro do PT e agora, de certa forma, dentro do CMP. O blog apurou que Zé Dirceu tem servido como elo entre a cúpula do PT e os empresários que são colegas de celas do ex-ministro também envolvidos na Lava Jato.  

Quando alguém do PT quer mandar recados para estes empreiteiros presos, também alvos da Lava Jato, é com Zé Dirceu que eles conversam. Entre os recados levados pelo ex-ministro, alguns se referem às delações premiadas. E não é só a cúpula do PT. Muitos parlamentares tentam contato com o ex-ministro da Casa Civil para evitar aparecer em futuras delações. 

Já condenado a mais de 20 anos pelo juiz Sérgio Moro, Dirceu se mantém fiel ao PT. Não passa pela cabeça do ex-ministro, pelo menos até agora, negociar qualquer acordo de colaboração com os procuradores do Ministério Público Federal (MPF) envolvidos com a investigação da Lava Jato.